Quando a gente se dá conta que errou

A teimosia impregnada em nossas fugazes ações diárias parece nem passar mais no campo do pensamento. Sei que você anda estressado e com a vida levemente corrida mas peço que ainda assim tire um tempo para ler este texto. Puxe um banco e sente aqui comigo, vamos conversar um pouco.

Vou começar te contando algumas coisas que acontecem de vez em quando.

Você magoa muito de alguma forma as pessoas que você gosta. Quase que diariamente pra ser bem sincero. E o pior de tudo é que você nem se dá conta disso. Mas saiba meu amigo, isso ainda vai remoer muito na sua consciência. Espero que quando esse dia chegue ainda exista tempo. Tempo para pedir desculpas, a ferida cicatrizar nos corações atingidos e a memória já nem processar direito os sentimentos anexos à essas lembranças.

Outro fato é metade dos seus amigos vão se afastar de você com o tempo e os amores que o destino havia programado para a sua vida nem vão chegar a aparecer. Não que a culpa seja apenas sua, a vida leva cada um pro seu canto com suas mudanças drásticas e repentinas e não há muito para ser feito. Porém tenha em mente que muita gente você repele sem se dar nem conta. Além disso o futuro vem virando presente e vai exigir que suas escolhas sejam feitas. Como num filme de realidades paralelas, a cada decisão tomada vai se apagando um futuro que poderia ter acontecido. Tudo bem, isso faz parte do processo de existência terrena. O problema é que as escolhas vem trazendo a conta; vai vir arrependimento e a eterna pergunta de ‘como teria sido?’ caso a estrada tomada fosse outra. Haverá principalmente a agonia do pensamento que aterroriza quando passa pela sua cabeça que talvez algumas opções não tenham sido as corretas.

Vai chegar um dia também que você vai receber a notícia de que alguém morreu. Pode ser um parente, um amigo ou um ídolo. Não interessa, o efeito é o mesmo. Uma sensação de impotência com o curso da vida e de desespero com todas as oportunidades desperdiçadas. Pouco a pouco vem caindo a ficha de que não há nada a ser feito que mude coisas como essa.  Apenas a certeza de que sempre é tempo de dizer o que precisa ser dito. Diga que ama, diga o que lhe incomoda, diga o que lhe entristece. Pois tem horas que o tempo aperta e a vida vai ficando louca. Nós vamos agindo muito e pensando pouco, então só rezamos para estar fazendo a coisa certa.

E torcendo que não seja tarde demais quando a gente se dá conta que errou.

Escrito por Paulinho Rahs, colunista do Sábias Palavras.

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEPaulinho Rahs
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS