Preciso de você

Que bom que você está aqui. Que bom que veio me ver. Por favor, segura a minha mão e não solta. Nem precisa falar nada. Apenas segure a minha mão porque sentir seus dedos nos meus é tudo que eu preciso pra hoje. Sabe aqueles dias em que tudo dá errado? Sabe quando percebemos que sair da cama foi o pior erro?

Hoje foi um dia desses, interminável, incansável. Queimei o pão na torradeira de manhã, minha camisa preferida estava rasgada e meu tênis ainda estava secando, encostado na parede do banheiro. Tive que usar qualquer coisa, sem muitas opções. Nem tive tempo de pensar porque saí de casa atrasado. Para piorar, nem percebi que estava chovendo e não tinha mais tempo para voltar e pegar meu guarda-chuva, que sempre esqueço em casa ou perco por aí. Estou cansado de perder guarda-chuvas. Cheguei à estação completamente ensopado e, para a minha surpresa, o metrô estava com problemas. Aquele sinal chato de que havia interferência na linha não parava de ecoar e fui obrigado a esperar uma década por um vagão vazio. Aquele aviso sonoro de que “agradecia a compreensão de todos” não compreendia minha impaciência com esse problema. Ao menos meu fone de ouvido estava no volume máximo, me separando da confusão de fora e me deixando em paz com a confusão daqui de dentro. Tinha tudo para ser uma segunda-feira difícil e realmente foi.

Sabe, olha a hora! Foram tantas horas extras hoje, que estou com dificuldade em saber o que é certo e errado, o que é cedo ou tarde, mal vi a luz do dia pela janela do escritório. Achei que teria sossego no trabalho, que aquela reunião com o cliente não duraria tanto e que o almoço seria apenas para falar de mais uma vitória do meu time. Mas não. O cliente não parou de reclamar, dizendo que nada estava como ele havia solicitado. Meu time perdeu ontem de goleada e teria sido o suficiente, mas aquele pessoal do almoço me derrotou ao falar sem parar sobre as dificuldades das reuniões da empresa. E meu chefe então? Me pediu tantas coisas, que talvez nem ele mesmo soubesse o que estava pedindo. E tudo que eu queria era um dia de sossego, nada mais.

Eu sei, eu sei, você vai me dizer que preciso respirar, que tudo se resolve, uma coisa de cada vez. Você está me olhando com aquele seu jeito doce e preocupado, com aquele seu jeito de quem faria tudo por mim aqui e agora. Você sabe que não precisa. Quero dizer, não precisa fazer tudo. Faça somente aquilo que faz de melhor: fica aqui. Gosto quando você fica e não vai embora. Gosto quando você fica. Gosto quando me olha com esse teu jeito de que sabe que, no final, tudo vai dar certo. Gosto quando me abraça apertado e me diz ao pé do ouvido que está comigo, que foi apenas um dia difícil.

Tem dias que tudo que a gente quer é fechar as cortinas do quarto e voltar para a cama. Enesses dias percebo que a melhor coisa é saber que não estou sozinho. Fica aqui comigo vai e me abraça. Esqueça esse teu relógio e tua hora marcada para ir embora. Lá fora já não importa mais. Se precisar te ajudo com o táxi ou te aconchego na minha cama entre meus braços. Quero sentir que meu mundo é aqui dentro, no nosso laço invisível de quem foi feito um para o outro. Pelo menos é assim que quero pensar e é assim que quero sentir. Quero ficar aqui com você, até que mais uma manhã se inicie e eu possa abrir a cortina do quarto com a certeza de que teremos dias melhores.

FONTEDeu Ruim
TEXTO DEDenis
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS