Por que você quer o que não tem?

Hoje estou aqui, nesse calor infernal em pleno domingo dessa cidade sem praia, enquanto você está aí, nesse frio do caramba nessa cidade cheia de praias que, devido ao frio, não podem ser desfrutadas.

Percebeu como o mundo é injusto? Percebeu que aquele papo de que Deus dá asas pra quem não sabe voar é mesmo real?

Aqui insatisfeita, aí insatisfeito. A grama do vizinho é sempre mais verde mesmo. Ou não.

Ei, qual é?

Qual é o teu problema? Que mania é essa de querer o que não tem?

Vale a pena passar a vida toda reclamando do que não tem?
Por acaso você já percebeu o que tem?

Reclama do calor e da cidade sem praia, mas não percebe que aqui ninguém está passando frio, que aqui tem lago, aqui tem bar e gente na rua, gente de chinelo e bermuda, enquanto lá, está todo mundo dentro de casa.

Não percebe que aqui tem vinho e lareira e tem esse mar lindo? Não percebe que tem neve e gente reunida em volta daquela fogueira?

A gente realmente, só vê o que nos convém.

Li por esses dias algo que falava mais ou menos assim: “fica aí chorando por ele, que não te quer, e não percebe quem realmente te quer”.

É mais ou menos isso.

Querer o que não temos, querer estar, querer ser, querer ter. Isso serve para lugares, empregos, roupas, amigos, faculdades, serve para amores também.

Ele está lá, mas gostaria mesmo de estar aqui. Ela trabalha lá mas queria trabalhar lá no outro, sabe? Aquela roupa está boa, mas ela poderia ter aquele vestido que ficaria melhor.

Aquela amiga é engraçada, mas nem se compara a aquela que ficou para trás. Ele gosta da faculdade nova, mas agora percebeu que anterior era bem melhor. Ela até curte aquele carinha, ele até está se acostumando com a namorada nova, mas na verdade ambos gostariam de estarem juntos.

Ok.

Alguém por aqui acha que está no lugar certo? Alguém aqui está verdadeiramente contente e realizado com o que tem? Alguém agradeceu pelo namorado que tem ou fica aí desejando o do vizinho?

Me parece que não. Então, nem eu aqui vou jogar a primeira pedra, desculpe, talvez eu também tenha um telhado de vidro.

Todo mundo aqui já está cansado de saber que o ser humano é um total insatisfeito, e lógico que isso nunca foi um defeito, mas isso não deveria envolver sentimentos – ok, me julgue -, afinal, alguém aqui percebeu que as pessoas não são coisas?

Não estamos brincando de passar de fase, enfrentando fases ruins para chegar ao final, talvez naquela fase que tanto esperamos – Juliana é a fase um, Cláudia a fase dois, mas pra chegar na Ana, nossa, aquela é o prêmio –, mas nada disso é a vida real.

Sei que todo mundo aqui sempre quer o que não tem, isso é lei desde A.C., mas será que não tem jeito mesmo?

Você já percebeu o quanto aquela garota ali, que lhe quer desde que lhe viu pela primeira vez – não sei como, nem porque – é linda? Já percebeu que ela gosta de você mesmo com todos esses defeitos? E mesmo assim você fica insistindo naquela que nem sabe seu nome?

E você aí garota, não cansou ainda de ficar aí, implorando por alguém que não lhe quer e olhou para aquele seu amigo – que quer ser qualquer coisa sua menos amigo – lindo e gentil?

Ok, não estou aqui para lhe obrigar a encarar quem não quer, quem não tem química, e muito menos lhe mandando fazer caridade sentimental, já que como você diz, “ninguém faz com você também!”, não é essa a questão.

Só queria que abrisse os olhos, percebesse o quanto tens hoje, onde está, o quanto a grama do vizinho não é tão verde quanto parecia, e se é nem tem flores como a sua.

Queria que percebesse o quanto esse frio é bom para um vinho e o quanto aquele calor é favorável para uma cerveja, perceba a beleza de cada coisa, e a oportunidade que teve em saber a diferença entre elas, perceba o privilégio que tens. Valorize o que tens e principalmente, quem tens.

A gente sabe que no fundo espera que alguém nos queira da mesma forma que queremos, afinal tem gente demais sendo uma pecinha de “resta um” – aquele joguinho que você já deve conhecer -, sobrando por aí. É isso mesmo que você quer?

Se for, está no caminho certo, mas se não, por favor, volte 10 casas.

Não sei por que ainda está aí – esperando que alguma coisa aconteça e que aquela infeliz, finalmente perceba que você é o chinelo velho dela, ou você aí, garota estúpida que ainda teima em interpretar um “oi” como um “eu te amo” – se você poderia estar lá, com alguém que realmente daria tudo para estar com você, só que você nem vê.

FONTECat Walk
TEXTO DEAlessandra Menegaz
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS