Por que somos tão dependentes do amor?

Quando caímos nas “redes do amor”, junto à nossa suposta metade da laranja, no começo, tudo é lindo, agradável e sentimos uma conexão muito especial com o nosso par – o que supõe um aumento muito importante da autoestima. O que acontece é que, ao nos sentirmos queridos e desejados por outra pessoa, acabamos nos sentindo bem com nós mesmos e com a nossa imagem exterior.

No entanto, é preciso tomar cuidado para não se tornar “dependente emocionalmente” da pessoa que está ao nosso lado. Pois se, por qualquer razão, a relação terminar, será muito doloroso. Por esse motivo, apresentamos a seguir uma série de conselhos para que sua relação seja apenas um complemento da sua vida, não ela em sua totalidade.

Ter os pés no chão

Com certeza, no início de uma relação, é comum a pessoa querer se entregar por completo. Por isso, é importante ter sempre os pés no chão e não idealizar a outra pessoa, como se ela fosse perfeita. Lembre-se que somos todos seres humanos, com defeitos e virtudes e, por este motivo, é preciso conhecer-se mutuamente antes de formalizar um relacionamento.

Impor limites

Imagine que você já está a alguns meses com a pessoa, supostamente, “perfeita”, mas depois de um tempo você percebe que ela está te manipulando; para que você passe a maior parte do tempo com ela e esqueça seus amigos, por exemplo. Receber tanta atenção pode até parecer maravilhoso, mas lembre-se que há vida além da pessoa que está ao seu lado e que a amizade que recebemos de nossos amigos é um tesouro que pode durar a vida toda. Coisa que não acontece com o amor, sentimento que pode mudar ao longo das diferentes etapas vividas.

A confiança é essencial

Quando uma pessoa é carinhosa, detalhista e tudo é regado de boas intenções, sem dúvidas nos tornamos viciados na sensação de nos sentirmos sempre lisonjeados e queridos. Então cairia muito bem fazer a seguinte pergunta. Será que realmente conhecemos essa pessoa? Por isso, é tão importante, na primeira etapa do relacionamento, conversar sobre como a pessoa se sente, o que gosta e o que não gosta de fazer, inclusive o que gostaria de mudar em você. Lembre-se que, às vezes, faz bem discutir um pouco. Isso ajudará a liberar as tensões e, se depois disso chegarem a um acordo, a relação ficará mais fortalecida.

E como agimos diante de um término?

Quando rompemos um relacionamento temos a sensação de total abandono. Sentimos como se ninguém nos quisesse e achamos que vamos ficar sozinhos pelo resto de nossas vidas. Isso não é nada distante da realidade… É comum sentirmos uma certa dependência emocional. O que acontece é que, simplesmente, sentimos falta da sensação de sentir o amor de outra pessoa. A verdade é que o amor é como uma espécie de droga e, com o tempo, iremos nos acostumar a ficar sem ele. Aproveite este momento para olhar para a frente, buscar apoio das pessoas que realmente importam e, ao fim de alguns meses, você irá se lembrar daquela pessoa, simplesmente como uma pessoa especial, que fez parte de uma etapa já concluída de sua vida.

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS