Os principais medos dos homens em um relacionamento

Os relacionamentos, por serem uma aposta incerta e principalmente por existir a necessidade de confiar no outro, podem trazer alguns medos e receios. Esses medos são vivenciados tanto por homens quanto pelas mulheres sendo que alguns medos podem ser semelhantes. Neste texto vou focar nos medos mais comuns que os homens sentem ou já sentiram em algum momento do relacionamento. Os medos podem ser respostas do pensamentos negativos a respeito de um determinado assunto ou até mesmo ser consequência de experiências vivenciadas. No relacionamento alguns medos são mais comuns, e é deles que irei falar.

O medo da traição

O medo da traição é o mais comum. Ele pode ocorrer tanto no homem quanto na mulher e em alguns relacionamentos acontecem em ambos, mas isto não significa que acontecem ao mesmo tempo. O medo da traição pode se originar na relação dependendo de sua qualidade, sendo mais comum nos momento de crise. As experiências vivenciadas por homens que já foram traídos podem acarretar este medo com maior frequência no relacionamento, deixando-o desconfiado e principalmente com maiores dificuldades em confiar novamente em alguém para ter um relação saudável.

Este medo pode ser percebido em alguns homens que frequentemente tentam “controlar” de certa maneira o que a mulher está fazendo, com quem está conversando, seja nas redes sociais ou pessoalmente. Homens mais desconfiados podem ter por trás este medo, que com o tempo pode ser facilmente percebido. É interessante, ao percebê-lo, conversar sobre os mesmo abertamente, para que ocorra um maior entendimento sobre o parceiro.

O medo de ser “trocado”

Este medo está ligado também ao medo da traição, pois alguns homens, em determinados momentos da relação, principalmente quando a relação ainda está iniciando ou passando por momentos de dificuldades podem sentir o medo de serem trocados por outro homem, acreditando que sua parceira deseja encontrar outro homem para suprir algumas necessidades que ele possa não estar fazendo. Este medo está relacionado ao medo da traição pois além de perder a mulher pela traição ela pode também, no pensamento do homem, gostar mais do outro e querer ficar com ele.

O medo de ser trocado também está ligado ao medo que alguns homens sentem de não serem o suficiente para suas parceiras, nos mais diversos aspectos do relacionamento. Este medo implica o pensamento de que a mulher ainda está aberta para novos relacionamentos e aberta para conhecer outros homens que possam despertar algum interesse nelas. Quando este medo é percebido, é interessante conversar e deixar claro que no momento você está inteiramente no seu relacionamento e não esta aberta para novas experiências.

Preocupação com o próprio desempenho sexual

Este é um medo relativamente comum entre alguns homens. Ele se refere aos pensamentos de que o homem não está conseguindo satisfazer sua parceira sexualmente, que o sexo não está agradando tanto como deveria. Geralmente homens inseguros com o próprio corpo, com o tamanho do órgão genital e etc., tendem a ter este tipo de medo, que pode surgir através desta insegurança. Alguns homens tentam suprir esta insegurança fazendo de tudo para que a mulher atinja sempre o orgasmo em todas as relação sexuais, dando ênfase na relação apenas a este aspecto e deixando outros aspectos também importantes (ou até mais) de lado.

Este medo pode ser o mais difícil de perceber e, principalmente, de amenizá-lo. Geralmente é uma insegurança existente antes mesmo do início do relacionamento, existindo ou não experiências negativas a respeito do tema. Nesse caso, o interessante seria o parceiro buscar uma ajuda psicológica, dependendo da frequência e do incomodo causado por este medo para o casal. A parceira, no entanto, pode com frequência, elogiar o parceiro no quesito sexual, principalmente no ato, direcionando também os elogios para onde possa estar o foco do medo.O principal neste momento é compreender e respeitar o que o parceiro possa estar passando.

Preocupação financeira

Este é o medo de não conseguir suprir outras necessidades da mulher que não necessariamente estão ligadas ao sexo ou a relação em si. É o medo de não receber o suficiente para que o casal possa ter um vida financeira satisfatória e principalmente o medo de que a mulher não esteja satisfeita com a realidade atual do casal. Este medo está inteiramente ligado ao pensamento de que o homem precisa ser o “provedor” da casa e prover tudo de melhor para sua mulher e família, sendo que atualmente esta já não é uma realidade tão recorrente em nosso país.

Neste caso a mulher pode deixar claro que está apta a ajudar nas despesas da casa, lembrando que a questão financeira não é o principal por estarem juntos, existindo outros aspectos mais importante para o casal.

O medo da “nova família”

Este medo é um pouco mais complexo, podendo aparecer em homens que estão prestes a casar ou juntar-se com suas parceiras para uma vida a dois que posteriormente pode significar ter filhos. É o medo de não ser um bom pai de família, um bom marido.

Quando os filhos nascem, ocorre com maior frequência o medo da separação e o medo da morte, mas não necessariamente o medo de morrer e sim o medo de não estar presente nos momentos importantes na vida dos filhos e de sua parceira, aumentado também o medo de não conseguir prover uma boa vida financeira para os mesmos.

Este medo é mais subjetivo, porém a parceira pode conversar com maior frequência sobre as responsabilidades do casal quanto aos filhos e ao futuro, demonstrando que nem tudo é responsabilidade do homem, e que irão dividir essas responsabilidades para que nenhum sinta-se culpado ou sobrecarregado.

Independente do tipo de medo que você possa estar percebendo em seu parceiro, o importante é tentar realmente compreender o que se passa com ele, buscando caminhos para que esses medos possam ser amenizados e, com o tempo até mesmo superados. Algumas mudanças de comportamento, mesmo que mínimas, podem fazer uma grande diferença ao longo do tempo.

FONTECérebro Masculino
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS