Os amigos e o zodíaco

Gostar de astrologia é algo que nos torna alvo fácil de uma porrada de críticas. “Que bobagem”; “não é científico”; “você jura que acredita nessas coisas?”. Blá blá blá. Gente, me deixa acreditar no que eu quero. Tem gente que acredita em ET, em casamento, em promessas políticas, em gel anticelulite, em previsão do tempo. Cada um acredita no que quer, não nos atormentemos, vai, por favor.

E eu gosto mesmo, tenho bons livros. Não sou de ler horóscopo, sou de ler astrologia, de fato. Uma amiga astróloga uma vez me disse “é ingenuidade demais das pessoas saber que a posição dos planetas mexe com as marés, mas não mexeria conosco, que somos feitos de quase 80% de água.”.

Essas leituras me fazem lidar melhor com as pessoas e compreender a sutil diferença entre características e defeitos. E me fazem aceitar melhor as bizarrices dos amigos, que, no fundo, são sempre coisas boas. É só saber enxergar.

Amigo de peixes é aquele que se emociona em mesa de restaurante. Conta uma história e começa a chorar no meio dela, ainda que vocês estejam pendurados num metrô lotado e você fique morrendo de vergonha. São os donos dos sentimentos confusos e das crises existenciais. Mas são também os donos dos abraços mais verdadeiros, que parecem nos engolir e nos sentir amados como nunca.

Amigo ariano não tem paciência. Não faça drama, que eles vão te dar uma chibatada na cara com um simples “pára coéssaporra”. Sutileza zero. Mas são eles os amigos que te incentivam a ir fundo quando aparece um desafio, os que te proporcionam as aventuras que sozinho você jamais teria, os que te encorajam a tentar e que vão estar lá caso dê tudo errado.

Touro é aquele para quem não adianta você dar conselhos por 3 horas. Ele sempre vai fazer o que quer, tá nem aí pra você. Teimosia é pouco. Amigo taurino é ciumento, possessivo, é bravo e é forte. Um taurino vai te ouvir, mas não vai passar a mão na sua cabeça. Ele vai te puxar pela mão e te mostrar como segurar os problemas pelo chifre. São leais como poucos, distância nenhuma os impede de aparecer quando você precisa.

Gêmeos (aí sou suspeita). Gêmeos fala, fala, fala. Gesticula, conhece todo mundo, tem histórias intermináveis sobre parafusos e libélulas. Um geminiano sabe como cansar nossa paciência (às vezes eles cansam até a si mesmos). Mas geminianos sabem alegrar uma mesa de bar, transformar um encontro em uma festa, fazer o povo rir com a simples combinação de bom astral e boas palavras.

O amigo de câncer é aquele ser estranho que nega convite pra festa open bar sob a justificativa de ter um aniversário de tia avó. Não adianta competir. Sua maravilhosa proposta nunca será mais atrativa para ele do que sua família e seu lar. Em compensação, ter uma amigo de câncer é ter a certeza de nunca passar um natal sozinho. Ou de ficar sem almoço numa 3ª feira. Debaixo da asa dele, você está sempre seguro.

Já o leonino precisa de holofotes. Precisa brilhar, reinar, chamar atenção de alguma forma, seja pela roupa inesperada ou por suas estranhas performances. E nunca ouse criticar seus cabelos. Mas no dia em que alguém falar uma única palavra contra você, tenha um leonino. São eles que te defendem com unhas e dentes. São fiéis escudeiros. Se tiver um no seu bando, você não corre riscos.

Amigo virginiano: o que tira os guardanapos usados e amassados da mesa do bar, faz uma limpeza rápida na mesa, seca os celulares respingados de cerveja. Ele vai criticar sua combinação de estampas, a bagunça do seu quarto, a sujeira do seu carro. Mas vai te impedir de comprar uma roupa que não combina com nada, vai te ajudar a planejar sua viagem e vai, sem que você nem perceba, te esclarecer os seus próprios pensamentos.

Amigos librianos: demoram horas para confirmar se vão ou não sair com você e quando finalmente chegam ao restaurante (e sempre chegam lindos), não sabem qual prato pedir. Librianos são os mais ponderados, nos fazem ver os vários lados da história, nos ensinam a ser mais diplomáticos e nos impedem de sair dando cabeçada por aí.

Escorpião é o amigo que nunca esquece. Não esquece que você não devolveu aquela camisa azul dele, não esquece que você não foi ao aniversário dele de 1999. Rancor? Bobagem. Mas, todo caso, é bom morrer amigo deles. Mas são eles que vão te ensinar a ser menos ingênuo. A desconfiar, a investigar antes de sair acreditando. E se mesmo assim você continuar sendo meio tonto, ele estará lá para evitar que alguém te passe a perna.

Sagitário é o amigo livre. Até demais. Sagitário é do tipo que diz “não te falei? tô mudando de país amanhã”. Tudo na boa, tudo sem traumas (para ele, pelo menos, porque você pode surtar, que ele vai achar exagero). Mas sagitário vai te dar vida, não vai te deixar ficar em casa num dia de sol, vai te chamar para viajar com ele (“te pego daqui meia hora”) e te mostrar que a vida é mesmo linda.

Capricórnio te dá um tapa na orelha quando você brinca de sonhar demais. Eles medem consequências, planejam, analisam o risco e decidem. E ficam loucos da vida se você achar isso bobagem. Mas são os que vão até o fim, que nos ensinam a planejar e lutar. Que nos impedem de desperdiçar dinheiro, de ficar em empregos meia boca, de viver uma vida sem metas.

Amigo de aquário nunca regula muito bem das ideias. São meio destrambelhados, excêntricos, parecem distantes, compram coisas que ninguém nunca viu, usam coisas que ninguém tem, ouvem bandas que talvez nem existam. Mas são os que nos incentivam a não ter medo do novo. São os que te contam a moda da próxima estação e os que nunca vão te deixar viver uma vida quadrada.

A emoção sincera de Peixes, as aventuras de Áries, a força de Touro, as palavras de Gêmeos, a acolhida de Câncer, a proteção de Leão, o cuidado de Virgem, a ponderação de Libra, a malícia de Escorpião, a leveza de Sagitário, o bom senso de Capricórnio, a ousadia de Aquário.

É o que basta pra vida. ♥

FONTEEstadão
TEXTO DERuth Manus
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS