Os adultos não sabem fazer amigos

Estou cada vez mais convencida de que amizade mesmo é só aquela que se faz na infância, ou no máximo na adolescência.
Amizade de peito aberto. Sem duas caras. Sem omissões. Sem mentiras. Sem cobranças. Sem um pingo de maldade. Tudo simples e claro.
Aquela amizade que começou vocês nem lembram quando ou onde, mas sabem que foi do jeito certo: você gostou de graça e foi gostado de graça também.

Os adulto não sabem fazer amizade. Ou se esqueceram.
Adulto é bicho interesseiro. E quando não é, é desconfiado demais pra deixar que outra pessoa entre em sua vida.
Adulto não tem tempo. Adulto não tem espaço. Nem no dia. Nem na vida. E nem no coração.
Adulto te sorri hoje, mas vira a cara amanhã. Sem pudor, sem peso na consciência, sem nada.
Ser adulto é fazer faculdade de nada, com cursinho em não-se-importar.

Adulto se deixa amargar. Se prende a rancores. Inventa traumas.
Adulto não deixa que a vida leve embora o que tem que ir embora.
Adulto gosta de remoer velhas dores. E delas faz casa, família, alimento e oxigênio. 

O que adulto sabe fazer? Contabilidade? Imposto de renda? Política?
Adulto sabe muito bem como transformar as incríveis possibilidades da vida numa chatice sem fim.
Adulto sabe complicar, amargar, estragar, envenenar. Tudo ao redor. Todos ao redor. Ele mesmo.
Do que adianta dinheiro, boa saúde e uma casa bonita se não tiver com quem compartilhar?

Do que adianta ter histórias para contar sem ter ouvintes interessados em escutá-las?
Do que adianta saber plantar uma árvore se não tiver alguém com quem dividir os frutos?
Do que adianta ser adulto se não tiver ao menos uma pessoa no mundo com quem você possa voltar a ser criança?

Criança conversa sem motivo. Bate papo, brinca, questiona e ouve sem um objetivo específico. Apenas pelo prazer de conversar.
Adulto só conversa por interesse. Só socializa quando tem algo a ganhar com isso.
O fim mais triste que uma criança pode ter é se deixar tornar adulta.

Adulto vê a vida através de números.
Dinheiro, idade, peso, ano, notas, etc.
E deles entende bem.
Mas não entende que não há números capazes de quantificar o que realmente importa.
Quanto pesa o amor? Quantos quilômetros existem dentro de uma amizade? Quanto custa um abraço? Qual é a data de validade de um sorriso?

É difícil ser uma eterna criança em um mundo de adultos. A vida se transforma em um enorme campo de solidão.

FONTEDeu Ruim
TEXTO DEMarina Barbieri
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS