Os 5 pilares do amor nas pessoas altamente sensíveis

A alta sensibilidade é um traço, um dom que às vezes aflige, transborda e faz com que as pessoas altamente sensíveis se sintam em uma ilha solitária, rodeadas por um oceano cheio de alfinetes…

A alta sensibilidade foi descrita pela primeira vez em 1975 pela psicóloga americana Elaine Aron. Sua ideia era se aprofundar nos traços da introversão, descobrindo de repente algo muito chamativo.

A personalidade introvertida não dispunha de um patrão clássico e comum em todas as pessoas. De fato, nos dias de hoje e graças à investigação do Jonathan Check, sabemos que há 4 tipos muito diferentes entre si.

Elaine Aron, em seu livro “The highly sensitive person”, nos explica que uma em cada cinco pessoas é altamente sensível. Não se trata, portanto, de um traço dentro da própria introversão, é um tipo mais de personalidade.

Experimentar a tristeza ou a alegria com maior intensidade, sentir o sofrimento alheio, ser muito intuitivo já desde a infância, desfrutar da solidão, ser muito sensível à dor, à luz ou sons intensos…

Tudo isso são traços que costumam definir as pessoas altamente sensíveis. Muitas delas não costumam saber que o são até quando chegam à vida adulta. Até que a vida tenha lhes faça ver que pareciam ir sempre “contra a corrente”.

Dentro de todas essas dimensões há uma emoção que as PAS vivem de uma forma mais complexa. Estamos falando do amor. 

Como manter uma relação com uma pessoa que não sente as coisas com a mesma intensidade que nós? Como administrar este furacão de emoções sem perder o equilíbrio?

Como confrontar uma desilusão ou um fracasso? Damos a você 5 chaves para levar em consideração.

1. O amor por nós mesmos

O amor, o respeito por nós mesmos é um pacto que deve durar toda a vida. Se há uma coisa que é verdade, é que a pessoa altamente sensível passou muito tempo “se sentindo diferente“, “se sentindo quase um inseto estranho”.

Por que leva as coisas tão drasticamente? Mas por que é tão sensível se não está acontecendo nada com você?

É muito possível que estas frases sejam suas conhecidas. Ao final, se ao longo de muito tempo sempre recebemos as mesmas recriminações dos nossos parceiros e do resto das pessoas, o mais provável é que nossa autoestima se debilite.

Você deve pensar que a alta sensibilidade não é uma coisa que você tem. É O QUE VOCÊ É. E como tal, deve aceitá-lo, porque assumindo esse dom, você aceita também a si mesmo/a.

Pode ser que você esteja cansado/a de sofrer, de ver como os outros vão em uma direção, e você avança contra a corrente. Deixe de se apegar ao sofrimento, liberte-se das emoções negativas e aceite-se com toda sua plenitude, valorizando todas suas faculdades positivas.

A vida de uma pessoa com alta sensibilidade pode ser maravilhosa, intensa e sutil, porque é experimentada desde seu coração.

2. Aceite que os demais não podem experimentar as coisas com a mesma intensidade que você

É possível que você tenha se sentido frustrado/a porque seus parceiros não se davam conta das mesmas coisas que você. Não eram tão perceptivos, tão sensíveis aos detalhes, aos olhares…

Você sabe ler gestos, atender cada aspecto, se preocupa com cada palavra e cada movimento…

Entretanto, seu parceiro parece ser cego a esses múltiplos detalhes. Isso significa que gosta menos de você? De jeito nenhum.

O amor nem sempre se experimenta da mesma forma, mas isso não quer dizer que não nos amem. Eles sentem à sua maneira, e você sente do seu jeito,

Você deve aceitar que nem todo mundo viu seu mesmo traje nem leva seus maravilhosos óculos. Você  ama em outra escala, aceite que outros o façam à sua, porque o amor continuará sendo sincero.

3. Administre as emoções negativas, não permita que o façam de prisioneiro

Quando uma PAS sofre uma desilusão, quando experimenta um término, uma traição ou uma mentira, seu sofrimento pode o levar à falta de defensa e a uma depressão.

Se a felicidade e o amor se vivem de uma forma realmente intensa, o fracasso se experimenta de igual forma. E a queda interior pode ser muito grave.

Não o permita, aceite desde muito cedo a adversidade, a existência do fracasso, o conhecimento da tristeza… Entenda que a vida tem esses buracos negros para os quais você nunca deverá se deixar arrastar.

Faça com que suas emoções sejam o fôlego de seu dia a dia, seja flexível. Aprenda com as suas perdas.

4. A sabedoria da solidão

Se há um aspecto no qual você tem vantagem, é em sua sabedoria da solidão. Você é dessas pessoas que encontram um grande prazer estando sozinhas, criando, lendo, escutando música…

Tem um conhecimento interior muito vasto, sabe escutar e atender. Sabe fiar o conhecimento da solidão, porque nela, se encontra bem. Assim é  você mesmo em toda sua grandeza.

Lembre-se sempre de que quem desfruta da solidão e de si mesmo, não é dependente dos outros. Não tem vazios para preencher porque sente a si mesmo seguro e realizado.

Escolha a pessoa com quem deseja construir uma vida, mas não desenvolva um apego obsessivo ou dependente. Não se aferre. Não perca o prazer de seus instantes de solidão.

5. O amor ao seu lado sempre valerá a pena

O amor é uma aventura que sempre vale a pena viver, e se for ao lado das pessoas altamente sensíveis, pode ser tão incrível quanto belo.

Você contribui com essa sinceridade que nasce do coração, que intui e agrada, que sabe afinar a felicidade ao máximo e que não conhece mentiras…

Não feche as portas de seu coração por ter vivido algum fracasso. Uma vida que se experimenta com o coração tem muito a oferecer ao mundo.

FONTEA Mente É Maravilhosa
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS