Obrigado pela tua passagem por mim.

Se não fosse a tua falta de atenção de me ligar sem querer quando na verdade deveria ter ligado pra tua mãe, eu não entenderia o significado de ocupar a tua vida, ser lembrado mesmo quando você estivesse longe de mim. Se não fosse a tua mania irritante de abrir vinte abas em um só navegador, de querer fazer três coisas ao mesmo tempo, de ter uma vida corrida e mesmo assim ter tempo pra mim, eu não saberia qual a função do tempo entre a gente. Se não fosse tuas ligações me chamando pra aparecer depois de uma semana de provas na faculdade, eu não conseguiria entender como é ser o tudo de alguém, como é ser importante pra alguém ao ponto de ser a primeira e unica escolha do outro.

Se não fosse essa tua mania de franzir a testa quando eu te acordava com um susto, eu não conseguiria entender o quão mágico seria te perturbar, te ver vulnerável, te apresentar as minhas chatices e você ainda assim continuar ao eu lado. Se não fosse os teus gostos diferentes dos meus, os lugares estranhos que você costumava frequentar e os teus amigos metidos a humoristas, eu não entenderia o prazer de provar e conhecer novas coisas, a satisfação que é misturar uma outra rotina a minha, conhecer um mundo distinto, rir sóbrio de piadas sem graça –  e rir mais ainda bêbado,  de levar novos modos e jeitos novos de viver a vida.

Se não fosse tua mania de mudar de planos tão repentinamente, tua indecisão em escolher qual roupa pra sair comigo, eu não entenderia o porque de ficar tão nervoso com você, e horas depois tão tranquilo, porque você me fez entender que assistir filmes aos domingos também era uma vantagem, você sempre me acalma. Se não fosse as tuas dúvidas eu não teria certezas pra te dar, e se não fosse a minha insegurança às vezes, eu não conheceria jamais o poder de cura que o teu abraço possui, e não teria a convicção que os seus olhos é o melhor que acontece pra mim.

Se não fosse tua risada espaçosa, eu não conseguiria misturar rum e tequila em uma só noite, beber cerveja quente e pegar carona na tua felicidade. Se não fosse tua mania de gostar de uma banda e ouvir, no mínimo, vinte vezes a mesma música, eu não lembraria de você quando ouvisse em algum lugar.

Obrigado pela tua passagem por mim, por ter me feito melhor, por ter acrescentado, por ser o mais perfeito exemplo de quando o amor acontece. Apesar de ter completado dois meses que você não me liga pra saber como anda minha vida ou pra me contar sobre como cambaleia a sua, obrigado pela ligação que tua alma tem e fez em mim. Apesar de fazer tempo que você não aparece em pessoa, obrigado pela companhia que você despejou por aqui, pelo pedaço que parece um inteiro de você que eu guardo em mim. Obrigado por ter feito parte de mim e por ser a pessoa que eu precisava naquele instante.

FONTEIandê Albuquerque
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS