O amor da minha vida… Sou eu

“Nós todos sabemos que a autoestima vem do que você pensa sobre si mesmo, não do que os outros pensam de você.” (Gloria Gaynor)

“Depois de muitos altos e baixos, de me sentir como um navio à deriva, depois de passar tempestades de amor, depois de ansiar um dia poder encontrar o amor da minha vida, eu finalmente encontrei …

O amor da minha vida sou eu. Eu aprendi a me amar, me cuidar, me respeitar; aprendi a dialogar comigo mesma sobre meus erros, e me perdoar sem rancor …

Então, acho que encontrei o parceiro perfeito, eu mesma … e eu digo despretensiosamente, apenas como uma forma de explicar a mim mesma que consegui um relacionamento agradável, estável e saudável com meu ser …

Porque eu sou uma metade de laranja que não precisa da outra metade para se sentir completa, porque todos somos completos se alcançamos a paz e felicidade com nosso interior e com o que fazemos, sem a necessidade de procurarmos por amor ou aprovação de outros…

Porque não preciso me vestir lindamente para encontrar alguém que se apaixone por mim; porque continuo mudando, mas para mim mesma …

Em primeiro lugar e acima de tudo, temos de estar seguros sobre nós mesmos, e nos amarmos mesmos com nossos defeitos; não importa que existam pessoas mais bonitas, inteligentes ou carismáticas …

Cada ser é único, e é aí que reside a nossa grandeza, mas podemos continuar nos mudando por dentro, e por que não por fora também? Buscarmos o glamour não é algo ruim, desde que não fiquemos obcecados em agradar a todos, inseguros por não sermos bons o suficiente e pelos complexos de prestarmos atenção apenas nos pontos negativos e esquecermos de todas as nossas qualidades.

Pare! Seja feliz com quem você é e isso refletirá no mundo!

Então, por que não começarmos a ser nós mesmos os amores de nossas vidas, e amarmos e sermos felizes com o que somos?

Você se atreve?






COMENTÁRIOS