Ninguém avisa quando vai embora

A vida é um sopro, assim como a sua foi. Pisquei e você já não estava mais presente nas festas, nas reuniões e muito menos na minha casa. Eu não sei se eu te aproveitei o bastante, nem se fui boa pra você. Mas eu sei que eu te amei, pelo menos da minha forma torta e errante. Quis te dar o mundo quando descobri que você já não estava mais entre nós, só que era tarde demais.

Era tarde demais para dizer “eu te amo” ou “eu gosto tanto de você”. Assim como tenho que me conformar que um abraço de adeus seria totalmente inviável nesse momento. Mas como eu gostaria que fosse possível. De repente as coisas ficaram mais densas, mais escuras. Acho que essa é a sensação terrível que a impotência joga sobre as nossas cabeças quando a coisa aperta.

Parece até que eu fui pro lado negro da força, de tão estranho que é esse sentimento que veio rapidamente e me tomou. Agora estou correndo por mim mesma, com as minhas pernas que tropeçam em todos os caminhos que percorro sem o seu olhar atento, mesmo de longe.

Você foi importante para mim e para um monte de pessoas. Será que elas tiveram a capacidade de demonstrar isso para você? Agora que você não nos dá mais respostas, fica difícil saber.

O que eu diria para os outros?

Amem. Amem sem limites. Tem coisas que o dinheiro realmente não compra, afeto e amor são duas delas. Você fica pra baixo, pra cima e no fundo só tem um medo danado de ficar sozinho. Será que para você, esse medo foi uma constante ou foi esporádico? Será que você também gostava assim de mim? Será que você desconfiava da sua importância na minha vida? Acho difícil descobrir tudo isso a essa altura do campeonato.

Como diz a música “é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar pra pensar na verdade não há”. A verdade que a gente tem é o sentimento que fica enraizado no peito, aquele misto de não querer ficar sozinho e de querer ficar perto de quem tem algum valor pra gente.

O que eu tirei de lição disso é que não é todo dia que a gente diz para o outro como ele é importante. E não deveria ser assim. Precisamos rever nossas prioridades e dizer “bom dia, meu bem”, “boa tarde, eu te adoro”, “boa noite, durma bem porque você é importante para mim”. Num primeiro momento pode até parecer exagero, mas nunca é demais quando você realmente perde alguém. E a perda, meu caro, dói muito mais do que qualquer demonstração de carinho.

Diga que ama, sem medo. Pode ser pro pai, mãe, tio, tia, avó, avô, animal de estimação, filho, filha, companheiro ou companheira. A um amigo querido. Solte o ar e diga para cada um deles a importância que eles têm na sua vida. E seja uma pessoa agradável, evite desgastes, cara feia, pirracinha. Quando as pessoas forem embora desse mundo, deixe que sobre afeto, não arrependimento.

Voa com o outro. Deixa saber que o que você sente é lindo e que precisa ser compartilhado, que não dá pra ficar só dentro do coração. Ame como se não houvesse amanhã.

Escrito por Ju Umbelino, colunista do Sábias Palavras.

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEJu Umbelino
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS