Não pisa que eu gamo

Você me engana, me faz sofrer e judia dos meus sentimentos.

Você não se importa, não me atende, não responde as minhas mensagens e faz jogo na sedução. Você marca e não me encontra, me deixa esperando, promete em falso e me faz de idiota. Você gosta que eu corro atrás, que eu me humilhe por sua atenção e companhia. Você é dessas pessoas que gosta de ter o controle nas mãos, mas é ignorante para compreender que não somos peças de um tabuleiro qualquer. Você é covarde e se ausenta quando necessário, mente quando deveria dizer a verdade, foge quando deveria estar presente. Você é um erro, que eu queria acertar. Uma curva, que eu gostaria de endireitar. Você é a negação dos meus amigos, o caso grave analisado pela minha família e a salvação para o meu coração. Você é a saudade do que não vivemos, e a esperança de um futuro bom. Você é aquela desculpa esfarrapada no final de semana, e aquela chuva nostálgica que não me deixa em paz. Você é o meu sorriso de nervoso, as minhas unhas roídas de raiva e a minha dieta fracassada. Você é ansiedade do que não existe, e os meus sonhos mais reais. Você é tudo o que eu não tenho, e o significado da palavra persistência. Para alguns, você é oportunista e eu sou trouxa. Para outros, você está distante demais do meu querer. E para mim, só precisa ser você.

Você me esnoba, me ignora e me despreza. Você me ilude quando diz algumas frases que eu gosto de escutar: “Você tinha toda razão”, “eu precisava ouvir a sua voz, estava com saudade…”, “nunca senti por ninguém o que eu sinto por você”, “você é a melhor coisa que já aconteceu na minha vida.”, “eu te amo!”, “eu quero ficar com você o resto dos meus dias…”, “depois que ficamos, eu nunca consegui te esquecer”, “você é a razão da minha felicidade”, “vamos sair hoje?”, “que horas eu passo na sua casa para te buscar?”, “eu não consigo parar de dar play naquela música que me lembra você”, “hoje eu acordei pensando em nós”, “daqui para frente tudo vai ser melhor”, “eu vou mudar por você”, “confia em mim”, “será que eu não mereço mais uma chance?”, “eu sou o amor da sua vida”, “eu não vivo sem você”, “o resto tanto faz desde que eu te conheci”, “eu vivo por você”, entre tantas outras clichês. A pior parte de tudo isso, são as suas chegadas. Elas são breves, com um toque de ironia quando você pronuncia devagar todas as sílabas: “meu amor, eu não conseguia controlar a ansiedade para te encontrar logo”. Cara de pau! É sempre quando você pode, no horário que estiver disponível e no momento em que sentir vontade.

As pessoas perguntam sobre o meu amor próprio, e eu respondo que foda-se onde ele estiver, eu só queria estar com você. Isso não tem nada a ver com gostar de ser masoquista, a questão principal, é não desistir facilmente de quem se gosta. Eu tenho consciência de que, por muitas vezes, eu faço o papel de otária e não estou nem perto de me tornar uma prioridade para você, mas a outra perspectiva, é a crença de que tudo o que é para ser nosso, o universo conspira a favor.

Talvez você seja burro o bastante para nunca compreender e valorizar o que eu gostaria de te oferecer. Talvez, algum dia, você perceba que o amor não é questão de sorte, mas sim, de merecimento. Talvez, eu ainda esteja te esperando de braços abertos. Talvez, você já tenha me perdido. Talvez, o tempo te leve para longe mais rápido do que eu consigo imaginar. Talvez, você seja tosco por me deixar ir embora. Talvez, falte maturidade para absorver tudo o que estou dizendo agora, para chorar menos amanhã. Talvez, você se recorde de mim quando estiver carente. Talvez, a sua vontade não seja capaz de me trazer de volta. Talvez, seja tarde demais e eu posso estar amando outra pessoa. Talvez, você carregue essa culpa até o seu último suspiro, e vai precisar de uma terapia para se livrar do “e se” que vai perturbar as suas noites calmas de sono. Talvez, é a melhor definição de como eu me sinto diante das suas atitudes hoje em dia. Talvez, eu ainda insista só mais um pouco.

Se eu fosse você, eu aproveitaria essa minha fase gamada, para criar raízes. Porque uma coisa é certa: se essa árvore não gerar frutos, quem vai ficar para a semente é você. Ninguém aguenta tanto tempo na geladeira, ou se sujeita a implorar pedindo para que alguém escolha ficar. Quem quer, faz acontecer. Eu quero, e você?

E se você não sabe o que fazer, assuma essa covardia sem tamanho. Afinal, não se faz com os outros, o que não gostaria que fizessem com você.

Limpe a sola do seu sapato, antes de pisar em quem tanto te quer bem.

Nesse caso, caminhe descalço…

Apenas siga o meu conselho: não pise em belas flores, que podem se tornar o seu jardim.






COMENTÁRIOS