Não é amor, é só saudade.

Não, não é amor. Por mais que pareça, por mais que “vire” tua cabeça.

Talvez já tenha sido amor, mas já faz tempo e você sabe bem disso. O que você está sentindo agora tem outro nome: saudade.

E olha que talvez nem seja saudade da pessoa em si. Provavelmente essa saudade que vem te perturbando ultimamente é sobre “o que” e não sobre “quem”, é sobre momentos e não sobre uma pessoa.

Isso não é amor, é saudade de como você se sentia, saudade daquele frio que dava na barriga. Somente isso.

Saudade do riso fácil quando a companhia dela/dele ainda era agradável, saudade do beijo e do abraço revestidos por amor.

Isso é saudade de como você se sentia, saudade do beijo de despedida que fazia com que teu coração repousasse numa calma absurda e te fazia sentir como se o céu fosse um pouco mais baixo.

Isso tudo é saudade de como você se sentia nos instantes em que “alugava” aquele abraço.

Não confunda, não se iluda, não faça nenhuma besteira baseada em sentimentos esporádicos que surgem num lampejo só pra te embaralhar.

Mesmo quando o amor se vai, a saudade ainda pode bater à porta de vez em quando ou de vez em sempre (mas não pra sempre). É normal, mas isso não quer dizer que ainda seja amor.

É só saudade. Nada mais.

TEXTO DEAllison Christian
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS