Não deu pra ser sua namorada

Eu quis te seguir, quis compartilhar minhas escolhas e acompanhar os seus passos. Mas não deu, não deu. Faltou pouco pra eu trilhar uma rota pra gente ir caminhando lado a lado, mas esse pouco bastou pra eu pegar o primeiro retorno e voltar sozinha.

Não foi nada do que você tenha dito ou feito, mas meu coração bate estranho e não encaixou na minha sintonia desajeitada. Eu não soube acompanhar seus passos retos, sou cheia de curvas aqui e ali. Não deu pra te ligar na hora que você me pediu porque não sei olhar para o relógio. Eu vivo de saudade e quando ela aperta eu sei que está na hora, mas sua progamação intacta me deixou sem tempo.

Foi difícil abrir mão e nos convencer de que não iríamos muito longe. Mas se os dois não remam juntos, o barco não sai do lugar. E foi assim que me senti: andando, andando e não indo a lugar algum. Como se a gente já tivesse vindo com prazo de validade.

Eu sabia e você também, não ia dar. Eu quis tanto ser sua, mas se fosse pra ser, nem precisaria tentar. Eu quis perder os sentidos de ansiedade. Porém, estava vazia de borboletas. Não deu pra me animar com a rotina, você sabe como eu gosto de um atraso e por mais que eu tentasse seguir o plano, já estava distraída demais para continuar.

Não foi culpa de ninguém, às vezes o amor é aquela faísca que se assopra e assopra de novo, mas não se torna fogo. Não adiantaria mais gastar fôlego, não tinha sido dessa vez. Não foi amor. Foi tentativa, foi esperança, mas passou longe do alvo. Fiquei ofegante com os meus sopros incansáveis e o fogo não veio, não esquentou.

Não deu pra ser sua namorada, nossa história foi o contorno de uma praça. O fim sendo o mesmo lugar onde tudo começou. Não quis recomeçar o ciclo. Foi melhor aceitar. Não procuro reencontros de esquinas, prefiro mudar o lugar.

FONTEFica Entre Parênteses
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS