Não aceite um amor de migalhas

Uma coisa muito importante sobre amores: eles precisam ser inteiros. Não dá pra ser meio namorada, meio esposa, meio mulher. Não existe amar só um pouquinho e gostar só quando convém. Nada de metades. Nada de amores meia-boca.

Você se julga a mulher perfeita pra ele. Faz tudo que ele quer. Sabe tudo que o agrada e aquilo que acaba o seu humor também. Prepara as panquecas do jeito que ele ama e sabe que o leite dele tem que ser gelado. Diz sim a tudo que ele quer e o deixa escolher o lugar aonde vão comer aos domingos à noite. Morre de medo que ele vá embora e por isso faz de tudo pra ele ficar. Quando começam uma briga, faz questão de dizer que ele tá certo porque não suporta a ideia de que ele fique bravo com você. Entra em desespero em pensar na sua vida sem ele. Identificou-se? Pois é!

Acontece minha amiga que você, assim como tantas outras mulheres, simplesmente vive um amor de migalhas. Daqueles que dão trabalho demais e resultado de menos. Amores que não nos alimentam, apesar de acharmos que sim. Na verdade, “amores” que não são amores e nunca serão. É como querer muito um belo sorvete de chocolate, fazer de tudo pra isso e, no final, se contentar com um picolé de uva simplesmente porque não existe mais opção naquela sorveteria, entende? É muito querer para muita covardia.

E sabe de quem é o problema? Do medo.

Medo de não encontrar ninguém melhor. Medo de não conseguir realizar seu sonho de casar. Medo de não ter alguém com quem dividir a pipoca no cinema. Medo de achar que ninguém vai te amar de verdade, então, qualquer coisa serve. Do terrível medo de achar que ficará sozinha. Medos que não te levam a lugar nenhum e só causam sofrimentos totalmente desnecessários.

Não existe nenhuma razão suficientemente boa para você correr atrás de alguém que já deixou claro e provou inúmeras vezes que não tem interesse algum por você ou que não te ama. É inaceitável continuar em um relacionamento onde você, em tentativas frustrantes para que de certo, acaba só se humilhando. Ninguém merece ser rejeitado tanto assim. Implorar pelo amor do outro não vai fazer ele te amar. Se o amor não é seu, nada que você fizer vai mudar isso. Aceite a realidade que você tem e encare essa dor temporária.

Todos nós temos nossos momentos de carência e ficamos desejando profundamente nos apaixonar. Isso é normal. O que não dá é pra fazer de alguém nosso porto seguro. Criar uma dependência emocional sufocante.

Antes de querer tanto ter alguém, você precisa querer a si mesmo. Apreciar sua própria companhia e enxergar a pessoa fantástica que é, sem precisar de um homem pra isso. Entender que felicidade não depende só do outro, ela tem que caminhar ao seu lado. Fazer parte da sua vida e depender apenas de você.

Ponha na sua cabeça de uma vez por todas: você só precisa de você para ser feliz e completa. Não existe ninguém nesse mundo que fará isso por você. É você por você mesma, sempre. Porque, no fim das contas, você é a pessoa mais importante da sua vida.

Por fim, quando finalmente entender o quanto maravilhosa você é e a mulher incrível que esta dentro de você, acredite em mim, esse será o inicio de uma fase onde não haverá mais restos desses “quase” amores que um dia (infelizmente) viveu. Você saberá o que é amar de verdade.  E, mais do que isso, finalmente será amada por um homem tão maravilhoso quanto você.

O amor gosta de gente que se ama, que sabe apreciar uma boa taça de vinho em um sábado à noite e reconhece o valor de um “eu te amo” que vem do fundo da alma. Porque o amor, minha amiga, ele gosta de encontrar outros amores.

FONTESuper Ela
TEXTO DEJessica Olivo
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS