Moço, não apaga a luz, não.

Vem cá, vem. Deixa eu te falar uma coisa bem de pertinho.

Eu até entendo que o escuro deixe as situações mais envolventes. A gente perde o receio de se aproximar e de tomar a iniciativa para o tão esperado beijo. Afinal, a falta de luz esconde também as imperfeições. Você, que queria chegar na garota desde o início do encontro, se sente seguro para arriscar. A menina, que se mostrava tímida, perde a vergonha por alguns instantes.

As coisas fluem melhores, eu sei. Mas, pensa aqui comigo. Ela quer ver o teu olho. Ela quer ver as covinhas do seu sorriso, logo depois que vocês se beijam. Quer desvendar o seu corpo. Observar cicatrizes, marcas de expressão e gordurinhas a mais. Ela também quer que você a observe. Lentamente, com um olhar atento e ardente de desejo. Sim, ela quer.

Tudo bem você achar que, apagando a luz, pode impedir que ela fique insegura com as possíveis estrias e celulites. Mas fica tranquilo. Ela já aprendeu a aceitar cada linha do corpo. Aprendeu que não é perfeita e que, na realidade, nunca se sentiu atraída por pessoas perfeitas demais. Por isso não se cobra. E, pode confiar, não vai cobrar de você. Ela só quer nitidez. De corpo e de alma.

O desejo dela é que o momento seja único. Não importa se você não vai mandar mensagem no dia seguinte. Ela quer aproveitar o agora. E, para isso, precisa dos cinco sentidos bem definidos. Precisa sentir o seu cheiro, ouvir a sua respiração ofegante, detectar o sabor do beijo, tocar a sua pele e, claro, precisa te ver. Ela quer te enxergar por inteiro. E quer que você faça o mesmo. Quer sentir a sua energia, o seu calor e o seu desejo. Não quer apenas sentir; ela quer ver. E ser vista.

Então, cara, um conselho: deixa a luz acesa, vai. A luz aquece. Transmite calor. Emana energia.

De escuro, já bastam os caminhos da vida.

Iluminem-se!

FONTEBendita Cuca
TEXTO DEIsabela Nicastro
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS