Moça, só emagrecer não basta

Acho que eu nunca contei a vocês aqui do Superela, mas há uns 5 anos atrás eu tinha 18kg a mais do que eu tenho hoje. Porém não quero fazer um texto contando sobre como atingir o corpo ideal, ou sobre meu tratamento, dieta e como foi que passei do manequim 46 para o 40. Hoje eu quero conversar sobre como isso realmente refletiu na minha personalidade.

A verdade é que eu sempre fui gordinha, na real, a gorda da turma, sabe? E isso me deixava muito pra baixo desde criança. Aos 15 dei aquela tradicional emagrecida para caber no vestido da festa e aos 16/17 lá estava eu bolinha de novo até tomar vergonha na cara aos 20. Porém, mesmo com altos e baixos na balança, a minha autoestima continuava subterrânea. Foi aí que percebi que ela não tinha nada a ver com meu peso (tão culpado por eu não ter um namorado ou coisa do tipo).

Assim como foi comigo, não adianta você mudar o manequim e não mudar de atitude. Ser magro ou gordo não te faz bonito ou não. Tudo bem que a sociedade possui certos padrões de beleza e comportamento, mas… De boa? Não adianta você ser a Giselle Bündchen, ou sei lá quem seja sua musa inspiradora, e viver de cara amarrada, reclamando de tudo desde quando acorda até na hora que vai dormir. A amargura é um verdadeiro repelente da felicidade, e pessoas felizes são as pessoas mais bonitas que existem. Digo isso com toda certeza, pois desde que perdi esses 18kg, oscilei de peso algumas vezes (o que é ultra normal, porém era um desespero – quem nunca?) no dia que deixei de me preocupar com isso percebi que nunca deixei de ser olhada, paquerada, admirada por ter 2,3,5 quilos a mais na balança. E se, por um acaso, algum cara deixar de te querer só por isso, agradeça a Deus pelo livramento, pois ele é um puta de um otário.

Comparo muito esse caso do emagrecimento com o lance do cabelo curto. Meo deos! O quanto que eu ouvi me chamarem de louca, que eu estraguei meu cabelo que era ~tão bonito~, que homem não gosta de mulher de cabelo curto… Mas gente! Duas coisas: esteticamente falando, a beleza de um cabelo está muito além do corte ou tamanho e, desde que eu cortei esse cabelo, eu nunca atraí tanto~boy magya~ na minha vida (até uns que nunca me deram bola, tão todo, todo… In off, please!). Só mais uma outra coisa: foda-se!

Hoje quando eu vou mudar de visual não penso que vão me olhar, me pedir em casamento na rua; penso se eu vou me sentir completa ou não com aquela nova imagem. O que era diferente quando eu emagrecia. Sempre achava que emagrecer ia me abrir as portas do mundo, mas continuava a mesma merda. Daí eu te digo: só emagrecer não basta. O que basta é você parar de ter objetivos fúteis de vida e dar uma atenção exagerada a opinião alheia.

Há uns anos atrás era complicado, mas hoje? Tem tanta roupa, blogueiras, modelos plus size lindas por aí que te mostram o quanto você pode ser incrível e feliz independente de balança. Até acompanho elas, pois acho que a gente precisa procurar outras inspirações nas pessoas além de corpo e looks. Se tivesse sido assim na minha época de crises, emagrecendo ou não, minha vida teria sido muito melhor.

Quer emagrecer? Emagreça! Eu mesmo nunca mais quero ganhar aqueles deizoitinhos novamente. Mas antes/ durante disso acerte sua postura, sua saúde, se acerte com a vida, se acerte com Deus. Caso contrário, vou só te dar um spoiler da sua vida vestindo alguns manequins a menos: de nada vai adiantar.

__________
Escrito por Tainan Cruz
Publicado em Superela

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS