Medo

Esses dias eu parei para pensar, amor, e não consegui pegar no sono porque hora ou outra me vinha à mente que amanhã ou depois você pode esbarrar com alguém e sentir alguma coisa diferente; que amanhã ou depois eu posso encontrar com alguém e me sentir diferente de todas às vezes em que eu senti uma pontada e pensei que era amor. Não sei, amor. É que amor é sentimento que cada um define e cada um sente de um jeito, que a gente não tem como dizer se amor é carinho e dormir de conchinha, ou se amor é frio na barriga quando a gente passa por alguém que não conhecemos o nome nem a história, mas sentimos uma pontada.

De uns tempos pra cá eu tenho esbarrado com um monte de gente que tem me causado nada. É todo mundo por quem eu passo e pra quem eu olho, e todos eles me parecem um alguém feito de carne e coração, que ama e que sente, mas que não nasceu para viver a vida perto da minha porque não me causa nada. Talvez eu cause neles, não sei. Talvez amanhã eu passe por alguns deles e sinta uma pontada, uma coisa diferente que faça minha mente acreditar que é amor, não sei. Talvez eu cause algumas dessas coisas em você.

É que sempre que a gente enterra ou encontra um novo amor, a gente acha uma definição diferente praquele que se foi. Amor sempre é o sentimento do momento, sempre é aquele que a gente vivência, que dorme e acorda com a gente, mesmo que a gente durma sozinhos. O amor que passou a gente diz não é amor; não é porque a gente acha uma outra definição que é pra justificar e aceitar que foi embora e que a gente sabe que não volta. Mas é amor, segue sendo. A gente enterra e segue sendo.

Você é amor, amor. Por mais que amanhã você possa esbarrar com alguém e sentir uma coisa diferente de todas aquelas que um dia eu te causei; por mais que amanhã eu possa encontrar alguém e sentir uma pontada diferente daquela que você me causou e eu ache que seja amor, você vai continuar sendo. Você seguirá sendo amor, porque amor é aquilo que um dia passa e deixa uma marca, que fixa no coração uma coisa que faz carinho e cafuné.

Parei pra pensar e não consegui pegar no sono porque hora ou outra você pode esbarrar com alguém que te cause qualquer uma dessas coisas. Pode acontecer comigo também, e a gente pode ir embora da vida um do outro; a gente pode ir dormir de conchinha e acordar querendo se aventurar em outra cama em outro lugar. Eu temia por um tempo, mas agora se acontecer, tudo bem. Não temo mais porque parei de procurar definições tolas praquilo que passou por mim, fez carinho, foi amor e segue sendo. Se eu ou você esbararmos com alguém, não tem problema amor. Você é amor, e se for embora, seguirá sendo.

No fim das contas, somos todos passageiros na vida uns dos outros e amor é aquilo que passa pela gente, dá uma pontada e marca por uma vida inteira. Se não dermos certo, amor, não tem problema. Enquanto durou foi amor; e enquanto eu viver, seguirá sendo.

Escrito por Júlio Hermann, colunista do Sábias Palavras.

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEJúlio Hermann
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS