Me enriquecem as pessoas interessantes, não as interessadas

É comum dizer que as pessoas interessantes são tão escassas quanto diamantes puros que deslumbram somente ao olhar em sua direção. Não é preciso ir tão longe nem ser tão exagerado. Estamos certos de que você também conta com alguns cúmplices de aventuras. Companheiros de momentos inesquecíveis e fiéis construtores de emoções positivas. Esses que nos fazem crescer por dentro e sorrir por fora.

Na vida, existem criadores hábeis de interesses mais egoístas e pessoas de coração humilde, de mente curiosa. Devemos defender-nos desses primeiros e aprender a cada segundo, a cada dia.

Todos nós temos nossos segredos e nossas virtudes. E todos nós somos, sem dúvida alguma, interessantes à nossa própria maneira. Mas entre ser interessante e ser interessado, existe um oceano de tormentas e mares agitados. 

Quantas vezes você teve que lidar no seu dia a dia com pessoas interessadas? Elas estão presentes em muitas relações cotidianas, desde sociais até pessoais. E não, não se trata de ir cortando vínculos, de ir fechando portas para esses tipos de personalidades.

Trata-se somente de saber gerenciar as emoções que elas causam em nós, de impor limites, de fazer ver, de viver em paz e saber dizer “basta” quando for necessário.

As pessoas interessantes que me ensinam a ser melhor

A vida deveria ser uma contínua troca de afetos, conhecimentos e experiências. Assim todos ganhamos, somamos e não nos faltará nada. Entretanto, não pode ser sempre dessa forma.

As pessoas interessantes não somente deslumbram com a sua originalidade, com o seu ser autêntico e cativante. Elas sabem acolher, respeitar e permitem que se estabeleça uma troca adequada de sentimentos e emoções.

A conexão com pessoas interessantes ocorre no mesmo instante, mesmo sem saber muito bem o porquê. Aparecem em nossas vidas e sentimos uma união quase imediataem termos de ideias, paixões e hobbies. Nossos mundos se chocam e ambos ganhamos. Em termos gerais, podemos defini-las da seguinte forma:

  • As pessoas interessantes acrescentam suas peças no quebra-cabeças dos nossos valores e paixões. Essas conexões estabelecem uma série de emoções positivas.
  • Expandem nossa mente, trazem-nos mais conhecimento, mudam o nosso ponto de vista e nos enriquecem.
  • A mudança não é somente unilateral, o benefício é mútuo. Nós também contribuímos, oferecemos, recebemos e estabelecemos um aprendizado contínuo através das vivências, experiências que fortalecem ainda mais a amizade ou a relação.

Não é fácil encontrar uma ou várias pessoas que se encaixam perfeitamente com as nossas linhas de pensamento, paixões e interesses. Na verdade, as pessoas interessantes, no lugar de “encaixarem-se”, muitas vezes o que fazem é nos desafiar, nos oferecem coisas novas, e assim crescemos.

Todos nós precisamos dessa magia que de vez em quando chega ao exterior e que nos faz sair da direção que seguem nossas vidas para explorar novas formas de conhecimento. São personalidades muito estimulantes, que ao mesmo tempo também partilham os mesmos valores e, desse modo, nasce um equilíbrio sutil.

Como tratar as pessoas interessadas

Convivemos todos os dias com pessoas interessadas e, obviamente, nem sempre é fácil e nem sempre desejamos romper essa relação. Pode ser que sejam sempre os nossos pais que acabam aguçando esse egoísmo implícito, ou até aquele companheiro de trabalho que sempre nos manipula com os seus sutis interesses…

Das pessoas interessadas não se escapa; deve-se fazer frente marcando limites e definindo territórios pessoais. Pois toda pessoa interessada tem como essência o egoísmo, e a sua única virtude será a de exigir dos demais que vivam e “dancem” como desejarem.

Quem está acostumado a procurar sempre o benefício próprio em suas relações corre o risco de acabar vivendo em absoluta solidão. E sem sombra de dúvida, por razões de equilíbrio interior e inclusive de saúde, devemos nos rodear de pessoas interessantes ao invés das interessadas, mesmo que muitas vezes seja difícil escapar delas. O que podemos fazer? De que maneira devemos tratá-las?

– Não ceda nos pequenos atos ou acabará resultando em grandes renúncias.

Nunca diga “sim” para algo que não deseja fazer, por mais insignificante que seja. Ao fazê-lo, ao dizer “não”, é comum que a outra pessoa sinta-se surpresa e inclusive ofendida. Entretanto, devemos deixar claro desde o princípio quais são os nossos limites.

– É comum que as pessoas interessadas acabem lançando mão de chantagem emocional. “Se não fizer isso, é porque não gosta de mim”. Não permita isso, a chantagem emocional é um tipo de abuso implícito e, como tal, deve fazê-lo enxergar isso. “Se gosta de mim de verdade, não me pedirá isso”.

– Deve ficar atento a cada palavra e a cada ato. As pessoas interessadas costumam ser muito sutis em suas ações, daí a necessidade de estar alerta para não se deixar levar pelas suas vontades, pelos seus egoísmos disfarçados que, às vezes, vivem“embrulhados em papel de presente”.

Lembre-se de que as melhores coisas da vida não são coisas, são momentos. Aqueles que compartilhamos com pessoas que nos enriquecem, seres interessantes que não vulneram nossas emoções, mas que nos enriquecem para que possamos crescer e voar mais alto.
FONTEA Mente É Maravilhosa
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS