Mãe, sem prazo de validade

Mãe,

Se você soubesse as dificuldades e desafios que enfrentaria para me manter em seu ventre durante a gestação, teria sido minha mãe mesmo assim?

Se soubesse que teria que parar de trabalhar, mesmo assim teria sido minha mãe?

Se você soubesse todas as vezes que eu ficaria doente, e todas as dificuldades para eu ir à escola. Se soubesse dos medos, inseguranças e aflições que eu teria até hoje, e que, em todas as vezes você estaria ao meu lado sendo meu único porto seguro, mesmo quando também não soubesse o que fazer… Ainda assim teria sido minha mãe?

Se soubesse que muitas vezes teria que falar “não”, e eu imagino o quanto isso deve doer. E se soubesse que o seu corpo ia mudar completamente? Mesmo assim teria aceitado essa tarefa?

Se você soubesse que teria que deixar seus sonhos de lado para que os meus se realizassem, mesmo assim teria sido mãe?

E se você soubesse que depois de um tempo eu tomaria meu próprio rumo, e que talvez eu pudesse partir pra longe? Mesmo assim teria sido a minha mãe?

Teria se empenhado com total desprendimento e com imensurável dedicação?

Talvez você nunca tenha pensado o que faria quando esse dia chegasse, não é mesmo? E muito menos o que faria depois…

Acontece que ser mãe não tem prazo de validade. É um trabalho vitalício independente do que acontece na vida dos filhos.

É possível que, se você soubesse como tudo seria antes, pensaria duas vezes ou mais, colocaria outros fatores na balança, deixaria para mais tarde ou, ainda, desistiria. No entanto, conhecendo o caminho apenas após trilhá-lo, e sem mapas para cada filho, não me resta uma dúvida sequer de que você percorreria-o novamente e quantas vezes fosse necessário.

É provável que isso seja uma dádiva da mãe Natureza, não revelando tudo o que há por detrás da construção de novos indivíduos, personalidades, e que só depende do desejo e decisão de uma pessoa. E por isso eu só posso ser infinitamente grata a você. Unica e exclusivamente a você, pois essa decisão só coube a uma pessoa:

A você, mãe.

Decidir gerar um novo ser e dedicar sua própria vida à formação de uma outra é a coisa mais bonita e importante que há no mundo. É a escolha por dar continuidade a tudo, de transformar o mundo numa morada melhor no futuro, proporcionando terreno fértil às novas gerações através do amor e transmitindo seus valores e ideais às sementes que gerou e que um dia espalharão tudo o que lhes foi ensinado.

É através dos filhos que o amor incondicional de uma mãe se perpetua, pois não somos um pedaço dela, somos ela por inteira e mais um pouquinho do que o mundo pode nos mostrar.
E que, sem dúvida, é muito menor que você, mãe.

FONTEAmor Ano Zero
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS