Me pergunto em qual momento permiti que meu coração se apaixonasse por você, parecia tão improvável alguém entrar aqui novamente. Eu juro que tranquei à sete chaves. Era como se fosse o que eu preservava de mais bonito (e medonho) em mim.
Em que parte das nossas conversas eu permiti que você entrasse nos meus pensamentos e ali fizesse morada?
Logo eu, que jurei nunca mais me entregar, me vejo colocando meu coração numa bandeja e entregando em tuas mãos. Que irônico… penso que o cérebro acabou indo junto. Por que qual pessoa em sã consciência faria isso?
Bom, uma pessoa apaixonada não está em sã consciência, só para constar.
Jurei nunca mais me envolver. Era só mais um caso, desses que a gente nem guarda na lembrança, é só mais uma pessoa prometendo coisas que amanhã não irá cumprir e falando coisas que agradam aos meus ouvidos só em troca de um momento. Sejamos práticos então, esse rodeio todo me irrita. A maturidade me ensinou a ir direto ao ponto e a não gastar saliva com quem não vai ter argumentos o suficiente.
Porém, os dias passaram e eu senti uma saudade absurda aqui dentro. Saudade do que nunca vivemos, saudade de nós. Droga, saudade não pode, pensei.
E quando me dei conta, as chaves as quais tranquei meu coração foram parar nas tuas mãos. De que forma? Eu não sei, mas eis que é tarde demais.
Quebrei a promessa de nunca mais me apaixonar, ultrapassei meus limites e me vejo com raiva do que sinto. Uma foto, uma mensagem antiga, automaticamente me fazem sorrir. Que absurdo, agora não.
E mesmo que eu te deseje absurdamente todas as noites eu vou seguir me odiando por tanto te querer.
E logo eu, sempre tão dona de mim, me perdi pra você.
Volta e me ajuda a me reencontrar. Vem, diz que fica, te preparo um café, mas também uma vida.
Ironicamente já fiz planos até para os netos que vamos ter, estou me sentindo completamente idiota por tanto te querer.
Volta e diz que vai ficar, que ao meu lado é teu lugar e que o tempo e a distância se fizeram necessários para crescermos.
Fica, não vai mais não. Te espero chegar de braços abertos para te prender e não mais soltar.
E embora aqui dentro haja um medo absurdo de te perder, aqui fora tem uma mulher com uma coragem enorme pra te fazer ficar 💛
Escrito por Gih Vasconcellos.
COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS