Levar um fora seu é um favor que você faz

Todo mundo já levou um fora na vida. E, se ainda não levou, um dia vai levar. No entanto, apesar do caráter aparentemente catastrófico da expressão, levar um fora não é o fim do mundo. Na verdade, pode ser o começo dele.

Se você passou a madrugada chorando porque o “amor da sua vida” não quis dar uma chance para todos os seus atributos, relaxe. Ele ou ela não é única pessoa interessante que existe nesse mundo. Hoje pode ser difícil para você perceber isso, porque todos os acontecimentos ainda estão muito recentes. Porém, pode ser que, daqui a alguns poucos dias, você passe horas conversando com alguém que você nunca imaginou existir e que, por algum motivo, parece te completar. Independentemente do que aconteça entre você e esse segundo personagem, para uma coisa esse episódio serviu: para mostrar que aquele seu ex my love, baby, pode até ser maravilhoso, mas não é o único maravilhoso desse mundo – e será que ele era maravilhoso mesmo?

Olhe para trás e pense em todos os amores que já passaram pela sua vida. Se o Pedro não tivesse sumido do nada depois daquela festa, você não estaria livre para ter aquela noite maravilhosa com o Lucas. Se a Carol não tivesse dito “Gosto muito de você, mas tô numa vibe de algo sem compromisso”, você não teria descoberto como a Malu  é uma boa ouvinte.

Sim, é exatamente isso o que você está entendendo: levar um fora deixa a estrada livre para que você possa passar por experiências que podem mudar a sua vida – e para melhor. Pessoas sempre estão indo e vindo, e se aquela pessoa foi embora, pode ter certeza de que tem outra vindo por aí.

Você não precisa ficar se remoendo pensando no porquê daquele alguém não ter ficado. Se você cometeu algum erro grave – como pegar o celular do seu namorado e ficar mexendo nas mensagens dele, o que é uma baita invasão de privacidade -, admita o erro, se esforce para que isso não aconteça novamente, mas siga em frente. E, se você não fez nada de errado, paciência também, mas siga em frente.

Cada pessoa tem o direito de fazer as suas próprias escolhas. A gente não escolhe de quem a gente gosta, mas com certeza a gente escolhe as experiências pelas quais a gente quer passar. Se o Alex gostava da Marina, mas mesmo assim decidiu ficar com a Bia, apesar de ela não aceitá-lo do jeito que ele é, foi uma escolha dele. Foi ele que escolheu ficar com alguém que não consegue vê-lo de verdade. Se a Sara está muito traumatizada com as experiências dos relacionamentos anteriores dela e deu um fora na Ju, paciência também. A pessoa tem o direito de ficar com as próprias neuras, e todos nós temos certeza de que a Ju vai encontrar uma garota mais bem resolvida lá na frente.

Mas essa relação de levar um fora não serve apenas para relacionamentos amorosos. Se você não conseguiu uma vaga no emprego que você queria, pode ser que isso seja para que você esteja livre para ir em uma entrevista na semana que vem, para conquistar um job muito melhor. Se aquela amizade, que você pensava que era para sempre, teve um prazo de validade, pode ser que seja para que você vença a timidez e se desafie a fazer novos amigos.

As pessoas mudam todos os dias e pode ser que aquele cara, aquele emprego ou aquela amizade não acompanhassem esse novo você que está nascendo hoje. Por isso, pode acreditar: levar um fora pode ter sido a melhor coisa que já te aconteceu.

__________
Escrito por Ana Paula Souza
Publicado em Lado M

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS