Lê isto quando sentir que o amor acabou

O fim do amor não é quando o relacionamento acaba. Essa é só a sentença, a assinatura, a burocracia. O sofrimento já veio antes, mas ficou represado no comodismo da vida planeada com direito a canteiro de flores e filhos correndo pela casa. O adeus destrói a contenção e inunda o terreno seguro. Faz a casinha com goteiras de onde tu tanto reclamavas tornar-se um palácio nas tuas lembranças. O passado não mudou. Mas a tua perspectiva sobre ele, sim.

O fim do amor embaralha os sentidos. Faz pensar no outro como a melhor criatura do mundo mesmo quando há tempo já pensavas em partir para outra. Ele vai ser o amor da tua vida e todas as vezes que desejaste outro rapaz vão desaparecer da tua memória num passe de mágica. Era ele, tinha que ser ele, era absolutamente certo de que seria ele.

Quando a raiva sair de cena, quando a vontade de esmurrar a porta passar, no palco estarão protagonizando juntos, a mesma cena, tu e o que tu sentes. Como numa dessas peças de improviso, em que nem um nem outro sabem qual é o próximo diálogo, o próximo movimento. A vida, por um tempo, vai ficar em suspenso. Tu não sabes se vais sentir mais vontade de maldizer o ex-amor ou admitir que ainda sobrou um resquício da paixão.

Logo depois vai chegar a vontade da vingança. Vais aprender a te maquiares melhor, vais saber a lista das bandas da semana que tocam na cidade. A lista telefónica vai aumentar, a quantidade de sapatos de salto alto também. A estratégia então é ocupar a cabeça para despistar o coração. Mas o medo de encontrá-lo a cada esquina vai fazer parte de ti como os cílios postiços.

Não importa quanto tempo passe, vais sentir-te brutalmente traída quando um novo amor surgir. Vais sentir-te ofendida quando ele usar a camisola que vocês compraram juntos para apresentar a nova namorada no Facebook.

Também vais odiar os amigos dele que eram seus, achar absurdo que a mesma banda que ele cantava para ti esteja a ser entoada para ela – e não importa se aquele som é o favorito dele, tu vais sentir como se fosse exclusividade tua.

Aí, aos poucos, a maquiagem vai diminuir, a mágoa também e tu vais estar disposta a conhecer gente nova de verdade. Vais entender que sentir que nostalgia não é saudade e que lembrar com carinho não significa que desejes a mesma vida de antes.

E aí vais saber que a vida continua. E daqui a alguns dias podes precisar de ler tudo isto de novo porque um novo amor vai chegar e vai partir.

Só então vais perceber que eu menti quando disse que o amor acaba. Ele se metamorfoseia em lembranças bonitas. Mas não acaba nunca porque vai estar em ti para sempre e em paz. Ainda bem.

FONTECoffe e Break
TEXTO DEMarinz Melz
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS