Larga esse chove-não-molha pra lá

Menina, sai dessa enquanto é tempo! Enquanto você não está perdidamente apaixonada. Aproveita que foram só três cervejas no bar da Paulista, cinco beijos e uma noite. Não se permita apaixonar por esse calhorda ambulante, facilmente encontrado na noite paulistana de quinta a domingo. Ele vale menos que um pastel napolitano e uma garapa no mercado central. Que um sex toy made in china vendido na esquina da vinte e cinco de março com a ladeira porto geral. Ele não merece quinze minutos do seu tempo.
 
Ele é profissional na arte de te cozinhar. Só está disponível às segundas e quartas e desaparece no fim de semana. Só atende o celular depois da quarta chamada, está quase sempre ocupado e diz que não está ouvindo direito a ligação, mesmo que do outro lado da linha esteja um silêncio sepulcral. Sempre foge dos eventos em que pelo menos um dos seus amigos ou parentes está presente, e não apresenta os dele pra você. Faz promessas de amor infinito que nunca será capaz de cumprir. Até mesmo porque não quer. Mas você não está percebendo isso.
 
Não deixe que ele te transforme em um delivery 24 horas. Que a sua agenda seja organizada em função do tempo dele. Que as suas idas ao Anália Franco para satisfazer os seus impulsos consumistas mais insanos diminuam, por estar de sobreaviso aguardando um possível contato dele. “Ligo se puder”, é o que ele sempre diz, e tenta te colocar em stand by. Não seja o estepe dele.
 
Há uma total falta de sincronia entre o que ele diz e faz. E isso deixa você cada vez mais confusa, procurando explicações e se colocando como a possível causa da forma duvidosa que ele age. “Será que eu fui grossa? Ou fácil demais? Deveria ter esperado mais um pouco? Será que pareci carente? Ou imatura? Será que ele encontrou alguém melhor que eu?”. Você faz centenas de perguntas e se culpa por algo que está totalmente fora do seu controle, e se martiriza. Deixa de sorrir e ganha algumas rugas cada vez que fica encasquetada com o comportamento evasivo dele.
 
A verdade é que nem ele sabe o que quer. E infelizmente, não há nada que você possa fazer a respeito disso. Ele tem fobia a relacionamentos. É o maior dos indecisos. Talvez nem seja proposital. Pode ser que ele cometa a tão famigerada autossabotagem amorosa. Mas isso não é problema seu. Você mal dá conta dos seus sentimentos e inseguranças. Não queira entender os dele.
Dê adeus à esse chove-não-molha agora mesmo, pois pelo que tudo indica não vai vingar. Não vai virar namoro. E é isso que você busca no momento. Use seu tempo para conhecer pessoas incríveis que querem o mesmo que você. Que desejam uma parceria de qualidade. Uma companhia pros sábados, domingos e demais dias da semana. Alguém que esteja no momento certo pra se relacionar. Que esteja completo e não procurando uma metade, e você descobrirá o quão maravilhosa é a união de dois inteiros.
Deixe os indecisos ensaiando eternamente um amor possível, enquanto você vive um amor incrível.Escrito por Aline Xavier, colunista do Sábias Palavras

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEAline Xavier
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS