Em um relacionamento sério com a paz…

Pela primeira vez na vida me bateu uma vontade de deixá-la acontecer; uma vontade muito mais forte do que querer que ela aconteça. As somas decepções que vivi serviram de atalho para que eu me sentisse assim hoje.
Eu queria sim ter tido aquela resposta, eu não queria que só visualizasse!

Eu queria sim ter te beijado mais vezes, eu queria ter transado mais vezes com você, queria também ter ido ao cinema – eu esperei tanto por isso. Eu queria que tivéssemos vivido uma história mais séria! Eu sonhava em poder te apresentar como alguém que eu tinha um compromisso.

Eu queria que me elogiasse depois de eu levar horas para me arrumar antes de te ver, queria que falasse do meu cheiro. Eu queria tanto ouvir “vamos” quando eu te fazer um convite de algo para fazer. Eu queria ler mais do que uma ou duas palavras durante a matadora espera do seu “digitando…”. Eu queria acreditar que o seu “haha” era sincero. Eu queria que sentisse orgulho de mim.

Eu queria que me dissesse o bem que eu te fazia – se é que eu te fazia algum bem. Eu queria que me colocasse nos planos do seu fim de semana. Eu queria me sentir prioridade! Eu queria poder dormir e acordar com uma mensagem carinhosa sua. Eu queria que me convidasse para fazer qualquer coisa. Eu queria provar daquele sorvete que dizia gostar. Eu queria poder te beijar no meio da rua.

Eu queria sentir que você estava feliz ao sentar ao meu lado no metrô. Eu queria que não tivesse segredos comigo. Eu queria que me contasse das pessoas que pergunto que te conhecem. Eu queria que você gostasse de dividir sua vida com a minha. Por Deus, eu queria tanta coisa, eu falaria por horas tudo o que eu queria de você. Eu queria o mínimo que somado é o máximo. Eu só queria. Eu só, queria.

Eu queria de você tudo aquilo que eu faria por você.
Levei um tempo para enxergar que eu me frustrava por não encontrar em você o que só consigo encontrar em mim.
Meu erro foi esperar de você coisas que eu faria por alguém.

Sou eu quem dá a resposta mesmo sem ter obrigação ao invés de só visualizar. Sou eu quem beija mais vezes, quem transa mais vezes, quem chama para ir ao cinema. Sou eu quem gosta de viver uma história mais séria. Eu adoro apresentar para as pessoas alguém especial que estou conhecendo.

Sou eu quem repara em alguns detalhes e gosta de elogiar quando acha que deve, que gosta de sentir o cheiro do perfume e o da pele. Sou quem não pensa duas vezes para dizer “vamos” quando me convidam para fazer alguma coisa. Sou eu quem se dá ao trabalho de responder cada palavra justificando assim a demora durante o meu “digitando…” Sou eu quem gosta de colocar a pessoa nos planos do meu fim de semana. Eu gosto de fazer alguém se sentir prioridade!

Eu gosto de surpreender com uma mensagem carinhosa pela manhã. Eu dou risada de verdade quando mando um “hahaha”. Eu amo dividir com alguém meus gostos preferidos. Sou eu quem gosta de beijar no meio da rua. Sou eu quem gosta de enroscar minhas pernas nas de quem me acompanha no metrô e brinca de ver reflexos na janela. Sou eu quem evita de ter segredos.

 

Gosto de contar das pessoas que conheço, explicar as notificações do Whatsapp e fazer relações do tipo: “Lembra da fulana minha amiga do trabalho? Então é ela” Sou quem gosta de dividir a minha vida com quem divide a própria comigo. Sou eu quem faz um milhão de coisas, às vezes calculando, às veses sequer sem pensar, mas sempre faço o que sinto, ainda que algumas vezes exagerando mas sempre tentando mostrar como o mínimo pode ser o máximo. Sou eu quem. Sou eu, quem?

Pela primeira vez na vida me bateu uma vontade de viver mais o que preciso do que aquilo que eu gostaria. Hoje estou mais disposto em ter um relacionamento sério com a paz do que com alguém que eu gostaria.






COMENTÁRIOS