Em tempos de crise: Poupe-se

“Não existe mal que dure para sempre, nem bem que permaneça pela eternidade” a energia que você gasta em cada um desses momentos é que faz a diferença. Ouvi essa frase em uma manhã de segunda-feira que tinha tudo para ser uma das piores da minha vida, e foi.

Saber que nem tudo vai durar para sempre pode ser angustiante, mas também libertador quando o que se está passando não é nem um conto de fadas.

Sim, vivemos em tempos de crise, mas a verdade é que vivemos isso desde que nos entendemos por gente: é crise amorosa, crise financeira, crise existencial e todas as outras crises que se pode imaginar, a diferença é que agora estamos passando pelo mesmo momento, uma crise coletiva e como toda coletividade, temos a escolha de seguir a manada, ou agir como pessoas únicas que somos, assumindo uma postura dinâmica e pessoal sem se desgastar com coisas desnecessárias, pois assim se tem energia para investir no que realmente importa.

É comum em momentos difíceis pensar uma coisa e fazer outra. Não é por maldade, mas por uma condição comportamental mesmo, quando uma situação é desagradável e exige mudança de postura até pensamos em mudar e de fato queremos mudar, mas existe algo que alguns psicólogos chamam de comportamento operante que faz com que se permaneça como sempre foi, porque se acredita que até aquele momento a situação sempre foi boa, logo a tendência é que se eu permanecer no mesmo comportamento, tudo também permanece igual, ledo engano. Nessas horas é preciso remar contra a maré da estagnação e botar a cabeça para questionar a si mesmo. Não é a coisa mais simples do mundo, mas acredite é perfeitamente possível.

Perceber como se age em momentos de crise é fundamental para poupar-se. Assim como quando precisamos dar aquela economizada na grana para que ela sobre até o final do mês ou para que se consiga fazer a tão sonhada viagem, é preciso também economizar-se para enfrentar os desafios que se apresentam diariamente e assim ter força suficiente para superar adversidades, em qualquer aspecto da vida.

Poupar-se não significa distanciar-se ou ter sangue de barata para tudo o que acontece, mas entender que nem tudo vale a pena e assim, se guardar para o que realmente importa.

Gastar energia com o que não te faz bem é como comprar algo que você não vai usar, quando poderia perfeitamente ter economizado para uma ocasião realmente útil, portanto, assim como se pensa em educação financeira é fundamental que você também pense em sua educação energética, pois quando você se economiza, tem reservas para investir no que te faz bem, como aquele projeto que sempre quis se dedicar ou o tempo a mais que você sonhou em ter, mas achava que jamais conseguiria.

Nem sempre pensamos por este lado o que é um grande erro e aí talvez esteja mais uma vez o tal comportamento operante que nos faz agir sem pensar dia após dia, ano após ano perdendo um tempo que não volta mais, pois acreditamos que estamos ganhando alguma coisa com isso.

O fato é que somos verdadeiros esbanjadores de energia produtiva, torramos sem dó com coisas que não fazem o menor sentido, como a irritação descabida com uma fechada no trânsito, a torcida de nariz para um post com opiniões contrárias as nossas e até aquela intolerância descomunal para o comentário desnecessário da mesa de desconhecidos ao lado na hora do almoço.

Nesses momentos, abrimos a carteira da energia e pagamos a conta do incomodozinho chato que insistimos em levar pra casa, como uma iguaria da melhor qualidade, tudo isso porque fazemos questão de nos mostrar certos, para pessoas e momentos que não acrescentam em nada nossa vida. Não seria isso uma das coisas mais tolas que você poderia fazer contra si mesmo?

Confesso que já fiz isso algumas vezes,  como no dia em que me peguei dando importância a comentários negativos que fizeram sobre meus artigos, ao invés de focar minha energia no que realmente importava – a produção de mais artigos. Hoje não faço mais, pois sei que errar todo mundo erra, que nem todas as pessoas vão concordar com o que você faz ou fala e nem todos os dias serão bons ou ruins, a diferença está na energia que se direciona e investe naquilo que realmente importa.

Em momentos de crise, ou em qualquer momento difícil que você esteja passando na vida, use sua energia para resolver o problema e não para gerar ainda mais problemas, que na certa é o que você menos precisa nestas horas. Use sua energia a favor e não contra si mesmo. Pare de reclamar sem agir, de brigar sem resolver, como li em algum lugar um dia desses: Se não tiver coragem de morder, não rosne.

Demandar energia para momentos ruins, só faz com que eles demorem mais a passar, do mesmo modo que investir energia em momentos bons, fazem com que eles durem um pouco mais porque realmente são curtidos até o fim, e como disse o meu amigo naquela manhã de segunda, nada é ruim (ou bom) para sempre e por mais que não se possa controlar todas as coisas, podemos sim dar aquela esticadinha nos momentos que achamos importantes, acredite nisso.

FONTEAdministradores
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS