Ela é desconfiada, irritante, grudenta, mas continua sendo aquela que quebra a minha rotina

Ela é desconfiada, irritante, grudenta, mas continua sendo aquela que quebra a minha rotina e é o meu porto seguro quando volto pra casa. Ela bagunça o meu cabelo, minha cama e a minha vida. Ela belisca meu nariz, em seguida me beija e diz que sou o homem da vida dela.

Dramática, eu sei. Tem um cafuné que me faz cochilar, um abraço bom que protege de tudo e um beijo que faz querer ficar ali, preso a ela por uma vida inteira. Exagerada ao extremo, me convence sempre de que fomos feitos um para o outro. E nisso eu até concordo. Fomos mesmo. É intensa e me derrete feito picolé na frigideira. 

Ela é especial, a melhor que alguém já pode ter e se encantar. E eu me encanto por ela todos os dias e confesso sempre o quanto a quero comigo. Ela me encoraja, me faz ter esperança nas coisas que até então já desacreditei, um tanto mimada, convencida e o amor pra uma vida inteira. No fim do dia me visita para pedir massagem. Faz dengo, pede carinho, me conta do dia e me pede para fazer algo gostoso para comer, sabendo que a única coisa que sei fazer é ligar para um lugar qualquer e pedir um Delivery. É nos braços dela que eu me sinto mais eu. 

Ela é louca, eu sei. Mas, e daí? Eu ainda consigo ser ainda mais louco por ela e com ela. E como ela mesmo diz, que aquela tal música do Nando Reis resume a gente: ”Porque eu estou com ela, sou dela, sem ela não sou! Porque eu preciso dela, só dela, com ela eu vou!” E como vou. 

Escrito por Rogério Oliveira

COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS