Ei, fica comigo

Ei, fica mais um pouco. Eu sei que você não é muito bom nessa de amor, mas eu também não sou. A gente pode descobrir juntos como é que faz pra dizer eu te amo sem parecer estúpido ou prematuro. A gente pode aprender juntos como namorar, como se apaixonar, como deixar o outro ser uma parte de você. A gente pode se aprender, juntos. Vai que a gente acaba gostando, e decidindo ficar?

Ei, fica mais um pouco. Quero que você suba comigo, depois do jantar. Não precisa pedir licença pra entrar; pode invadir. Você já tomou posse do meu coração, então sem vergonha pra deitar no meu sofá. Fica aí, desse jeito. Cansado, por ter trabalhado o dia todo, e lindo, por simplesmente ser a perfeição que o Universo cuspiu na Terra. Ei, fica aí. Deixa eu te olhar um pouco, só pra ter certeza de que eu não tenho esquizofrenia, e você é real, e por um minuto as coisas parecem estar dando certo e eu finalmente poder te amar. Ei, fica aí. Deixa eu te emoldurar de presente pra minha vida.

Ei, corre aqui no meu quarto. Você bem que poderia dar as boas-vindas ao final de semana deitado na minha cama. Relaxa aí, ninguém vai aparecer por aqui essa hora. Até porque, se aparecessem, estaríamos dormindo, juntos – e então não haveria nenhum problema; seríamos um só, nós dois. Assim, lado a lado, com a sua respiração nas minhas bochechas, e seus olhos me encarando até eu começar a rir. Se o frio entrar pela janela, não reclama; aproveita essa desculpa pra grudar seu corpo mais em mim. Aproveita, e me aproveita também. Eu quero mesmo é que o mundo através da janela veja nosso amor; eu não me importo. Eu não tô nem aí pra qualquer coisa que não seja relacionada a você, essa noite, e essa vontade louca de me costurar em você.

Ei, fica mais um pouco. Ainda falta colocar aquela nossa música pra tocar, e esperar chegar naquele verso que você sempre erra, e eu sempre acho graça. Só pra você me calar com um beijo – que poderia realmente durar mais do que uns minutos, e se estender pela eternidade. Aproveita que você vai ficar e promete pra mim que vamos tentar provar pro mundo que contos de fada existem. Aproveita e me promete que você vai ficar. Aproveita, e me ama um pouquinho mais. Porque quando você vai embora, eu sinto falta; do toque, do cheiro, da simbiose que meu organismo insiste em forçar com o seu. Quando você vai embora, nada me resta; só as palavras. E elas, sem você, não me valem muita coisa. Você já deve ter percebido; eu só escrevo sobre você. Tem uns que chegam, outros que se vão – mas você é o único que martela minha cabeça com mil questões e duas mil histórias de amor. É isso, você é o único. E não tem nada que eu possa fazer pra superar isso.

Vem cá, apoia seu rosto no meu pescoço; deixa ele ali, já que eles se encaixam perfeitamente. Deixa ele ali, pro meu coração disparar toda vez que você expirar. Esquece seu rosto ali, pra eu esquecer de mim também. Esquece a manhã que vai despontando no horizonte, e vamos viver nossa noite infinita. Não, não precisa nem fazer meu café, deixa ele pra depois; pra quando eu precisar de alguma outra droga em sua ausência – já que o seu próprio amor desempenha esse papel tão bem quando estamos juntos.

Ei, olha aqui. Enquanto nossos olhos se encontram, sem realmente se enxergarem, fala pra mim que vamos fugir. Fala que você já deixou tudo pronto, que só preciso me trocar e sair pela porta, em silêncio. O carro vai nos levar pra qualquer lugar, sem que nenhum dite um caminho. Vamos deixar acontecer, e deixa o futuro nos carregar em seus braços. Vamos, e pronto.Aparentemente, qualquer lugar do mundo ficaria um pouquinho melhor se você estivesse comigo; aparentemente, não existe um lugar no qual eu queria estar senão nos seus braços e no seu peito. Vai, foge comigo. Vai, me leva daqui. Vai, fica mais um pouco.

Desde que você chegou, eu meio que perdi as rédeas; tudo parece que virou de ponta-cabeça e despencou. Não durmo. Não consigo conviver com outras pessoas. Não encontro as palavras certas, nem as erradas. Parece que tudo por aqui é um pouco de você, porque você tem um pouco desse tudo. Parece que tudo por aqui mudou de cor, descompassou, se espatifou; você chegou e me inundou com mil coisas que antes eu não sabia que existiam. Você chegou. E isso foi o suficiente.

Ei, tira essa camisa. Vem aqui me acender. Vem, e me deixa pegar fogo. Vem. Vê se me faz explodir.

Depois dessa nossa noite infinita, me acorda de manhã. Lá pelas dez, onze horas – como se o sol tivesse acabado de surgir – com uma xícara de um café forte, e um beijo na testa. Tenho certeza que depois de dormir a noite toda por aqui, você não vai ter problemas em abrir a geladeira. Me chama de amor e sorri daquele jeito que só você sabe – com os olhos brilhando e as covinhas gritando. Senta do meu lado e me pergunta como foram meus sonhos – mesmo você já sabendo a resposta: todos eles desenhavam seus traços. Todos eles foram com você, de você, sobre você, para você. Porque te conhecer foi uma das coisas mais próximas a realizar um sonho que eu pude viver. Porque te amar é ainda um sonho do qual eu não quero acordar. Porque acreditar que você me quis de volta torna tudo ainda mais etéreo.

Não sei direito como minha insignificância, de alguma forma, te encantou. Eu sou pequeno, eu sei; mas eu tenho minhas palavras, e elas fazem questão de se dedicarem a você. Eu tenho essa mania de continuar escrevendo, e meus textos sempre me obrigam a contar a nossa história. Eu tenho esse coração esquisito, que aperta meu peito até eu querer explodir em mil pedacinhos de você. Eu sei, eu sou louco; mas o mundo é dos poetas ou dos apaixonados – eu dei o azar ou a sorte de ser os dois, e desejar me dedicar exclusivamente a você.

Enquanto você estiver aqui, nessa cama, eu vou ser a pessoa mais feliz do mundo. Com essa carinha de sono, esse cabelo bagunçado, esse sorriso de quem queria dormir pelo menos mais cinco minutinhos. Com essas mãos bobas debaixo do edredom, esses olhos que iluminam a noite como um farol em alto mar, esses planos que me arrepiam a espinha. Enquanto você estiver aqui, nessa cama, tudo bem. Eu vou ser a pessoa mais feliz do mundo.

Ei, coisa linda, por favor, fica comigo. Vem aqui, pra acabar com tudo de uma vez. Acabe com essas minhas dúvidas, e depois acabe comigo. Nós ainda temos muito o que viver, mas precisamos parar de fingir que o mundo não está nos obrigando a ficar juntos e juntarmos de vez nossos guarda-roupas. Nós só precisamos nos permitir; e deixar que a noite caia, que as roupas caiam e que o lençol caia, pra começar de vez uma história na madrugada do pra sempre.

Ei, fica mais um pouco. Ainda quero te fazer um cafuné, te apresentar pros meus amigos, te escrever um poema.

Ei, fica mais um pouco.

Ainda não tive tempo de te dizer que te amo.

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS