Como superar um fracasso?

O fracasso é uma parte normal da vida. Se você nunca sofreu um fracasso, então você provavelmente não está a explorar em pleno todo o seu potencial. Muitas vezes, é somente através da falha que nos colocamos no caminho do sucesso. Ninguém gosta de falhar. Quer seja no trabalho, em casa, ou em outra área da vida, o fracasso é doloroso, e também pode ser dispendioso em termos de tempo, dinheiro ou ambos. Fracassar na grande maioria das vezes faz disparar uma resposta emocional que nem todos nós sabemos lidar da melhor forma. A forma como lidamos com as nossas emoções depois de um fracasso, distingue a sua utilidade, ou ao invés,  o seu tormento.

MAS COMO SUPERAR UM FRACASSO?

COMECE POR LIMITAR OS DANOS CAUSADOS

Uma vez que perceba que falhou em algo, você precisa tomar medidas para limitar os danos causados ​​por essa falha. Isso poderia significar:

  • Vender o equipamento hoteleiro, após insucesso no negócio do restaurante
  • Focar-se na próxima jogada depois de perder um lance para golo
  • Pedir desculpas a alguém que você magoou quando falou algo inadequado

Seja qual for a situação, ser pró-ativo é sempre uma opção melhor do que enfiar a cabeça na areia e desejar que a falha nunca tivesse acontecido. Fazer uma leitura prática e aceitar o erro é o primeiro passo para passar à ação, e rapidamente estruturar uma estratégia para fazer aquilo que ainda pode ser feito.

LEMBRE-SE QUE AS OUTRAS PESSOAS TAMBÉM FALHAM

A maioria das pessoas não falam abertamente sobre as suas falhas. As pessoas podem falar sobre o novo grande contrato que assinaram. Não falam propriamente de outras situações em que trabalharam durante meses, para verem um ótimo negócio escapar por entre os dedos. Mas o fracasso é normal, e muitas pessoas não conseguem uma e outra vez  até serem bem sucedidos.

LEMBRE-SE DE SUCESSOS PASSADOS

Falhar não significa que você não vale nada, ou que você nunca vai conseguir as coisas que deseja. Quando usamos a autopunição emocional, autodepreciando-nos e consequentemente colocando o nosso valor enquanto pessoa em causa, desviamos a nossa atenção do ponto fulcral da falha. Ou seja, desviamos a nossa atenção do processo e das ações que não surtiram efeito, fazendo com que passe a existir uma dupla perda. A perda ou falha concretamente dita, e o desperdício da oportunidade de perceber onde se falhou e como se pode melhorar.  Uma forma construtiva de olhar as falhas, é percebê-las como um resultado que não lhe serve nem cumpriu as suas expetativas.

Se o fracasso ou a falha, fazem disparar um abalo emocional depreciativo, é hora de fazer algo por si mesmo. Retomar a confiança em si mesmo e focar-se nos seus melhores recursos para minimizar o erro. Uma ótima estratégia é relembrar-se de algumas situações do passado em que você foi bem sucedido.

Talvez você tenha conseguido uma promoção no seu trabalho o ano passado, ou você teve uma uma nota elevada na faculdade, ou conseguiu perder peso, ou aprendeu a tocar um instrumento musical, ou melhorou o seu relacionamento com o parceiro. Experimente  escrever uma lista dos seus sucessos, coisas que você realizou ao longo dos últimos anos, sejam grandes ou pequenas. Se você tem a sua confiança diminuída, reveja a sua lista de sucessos. Avalie a forma como encarou esses desafios, planos ou objetivos. Em que estado de animo você se encontrava, qual o seu nível de energia, em que você se focou, com que grau de certeza enfrentou a situação, que estratégias de preparação usou, a quem pediu opinião, entre outras.

LEMBRE-SE DOS FRACASSOS DO PASSADO

Os seus sucessos do passado são importantes , mas também as suas falhas do passado. Você já cometeu erros antes, e provavelmente manteve-se no seu caminho, seguiu em frente. Talvez você tenha feita um exame desastroso, ou errou alguma coisa no trabalho, ou perdeu o seu temperamento e teve que pedir desculpas, ou não tem cumprido o que diz para si mesmo.

 
Não é agradável pensar sobre as coisas que deram errado, mas ao reconhecer as suas falhas, você pode interpretá-las por duas perspetivas:
  • Se você falhou no passado e depois conseguiu ultrapassar as dificuldades, certamente tem uma experiência positiva de como fazer no momento presente. Então, aplique a mesma estratégia e atitude.
  • Se as suas experiências de dar a volta por cima são escassas, então pode tentar familiarizar-se com a ideia, de que o que aconteceu no passado não tem necessariamente de voltar a acontecer no presente. Se perceber quais os passos, ações e atitudes que contribuiram para não ser bem sucedido, consegue recolher informação suficiente para perceber o que não deve fazer. Isto permite-lhe criar a noção que é possível fazer diferente, que é possível obter um resultado que lhe serve e que o satisfaz. Mas como? Olhando para os erros, e preenchê-los com  nova informação e com uma nova perspetiva de resultado.

TOME UMA DECISÃO

Independentemente do que não deu certo, provavelmente você está enfrentando algum tipo de decisão, mesmo quando as consequências iniciais já pertencem ao passado. Por exemplo, talvez você tenha gasto todo o plafond do seu cartão de crédito. Você está diante de duas opções: continuar usando o cartão, ou torná-lo inacessível de alguma forma.

Pondere com tempo sobre as decisões a tomar e procure um caminho a seguir. Isso pode exigir algum pensamento profundo.

Você pode ajudar a si mesmo:

  • Obtendo um conselho extra e suporte numa área particular de sua vida, talvez de um profissional como um médico, psicólogo, personal trainer, ou conselheiro.
  • Lendo e aprendendo mais, se a falta de conhecimento levou ao seu fracasso.
  • Trocando opiniões acerca das suas opções com um ente querido ou um amigo próximo, ou escrever num blog sobre a decisão que você enfrenta.

“Não fazer nada” é certamente uma opção, mas deve ter consciência que também é uma decisão sua, e muitas vezes uma decisão que não vai levar a nada de positivo. Seja qual for a falha que você enfrenta no momento presente, certamente pode aprender com ela, e seguir em frente.

FONTEEscola Psicologia
TEXTO DEMiguel Lucas
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS