Como curar um coração partido

Comece com chocolate. Aquele que mais gosta. Se não gostar de chocolate, existe a alternativa do gelado. Eu prefiro o gelado. Faço exatamente como se vê nos filmes, sento-me no sofá e vejo uma comédia romântica, é sempre a mesma mas eu adoro e conseguia passar os meus dias a vê-la, claro que é do ilustre Nicholas Sparks. Vejo a que mais gostei e a que mais me fez chorar. Não sei porque mas para mim se chorar muito por alguma coisa, depois não tenho forças para chorar por outra. É óbvio que prefiro chorar por um filme de que por um amor, sempre fui assim.

De seguida contrarie essa vontade enorme de comer tudo o que lhe aparece a frente ou o contrário, a falta de apetite. Embora sejam coisas diferentes, trazem consequências desagradáveis. Procure uma alimentação saudável porque o chocolate ou gelado já serviram para cobrir um pouco do buraco que ficou no peito e sinceramente, é comida que necessita por isso é sempre uma melhor escolha ser algo saudável.

Agora pegue no telemóvel e mande uma mensagem coletiva para os seus amigos em que diz que acabou tudo com a pessoa e que nunca mais a quer ver. Sei que parece imaturo mas esta ação irá fazer com que de uma forma ou de outra, desabafe, por muito pouco que seja. E não esquecendo que o ódio dos seus amigos pela pessoa que neste momento nem quer ver, vai ajuda-la a ultrapassar e já não tem de fingir que a pessoa era incrível mesmo tendo-a magoado.

Este é dos últimos passos, sair de casa e encarar a vida real. Começar a perceber que não há volta a dar e que o coração irá doer por mais uns dias mesmo que a intensidade diminua. Mentalizar-se que agora irá olhar para os sítios onde já passou bons momentos com o seu ex-amor e sentir aquela saudade recheada com a tristeza. Este é um passo doloroso porque em todas as nossas ações temos de nos despedir do passado. Não podemos esperar que o passado volte mesmo que a esperança seja a última a morrer.

E este é o último passo, na minha opinião o mais difícil, deixar que o tempo cure. Neste passo não existe uma data específica para que pare de doer. Não temos certeza de nada nas nossas vidas e perguntamo-nos muitas vezes “e se?”. Mas a verdade é que o tempo cura tudo, mesmo que demore a curar e que seja indeterminado, vai ficando cada vez mais fácil e cada vez menos doloso. O tempo é o nosso melhor amigo e pense sempre que um dia tudo acaba, até a dor.

TEXTO DEDaniela Pereira
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS