Ciúmes

Tirei o last seen do WhatsApp para quando cair na tentação, não ter motivo algum para sentir ciúmes bobo e sem motivo de você. Havia um tempo em que te ver online e sem falar comigo me deixava histérico;  você falava com suas amigas e eu, bobo e inseguro, pensava besteiras. Acho que ciúmes é feito um órgão, faz parte da gente; não tem como se livrar, mas da pra anestesiar, tirar de atividade por um tempo, e foi isso o que eu fiz.

Demorei um tempo para assimilar que o ciúmes cria raízes dentro da gente. Demorei porque o ciúmes cega, venda os olhos e nos tira o filtro de sensatez que a visão tem. Demorei mais tempo ainda para assimilar que seus amigos são só seus amigos, e que se você me escolheu, devo estar munido de algum encanto que você não viu em nenhum deles. Mas foi difícil, confesso. Foi difícil porque você passa e esbarra em um monte de gente todos os dias, e você deve ter encontrado uns tantos signos mais compatíveis com o teu do que o meu, eu sei. Mas, por outro lado, eu também tenho esbarrado com um monte de gente – do mesmo signo e de alma gêmea do meu, do mesmo sonho e de mesmo objetivo que eu -, mas nenhuma dessas pessoas me causa nada, absolutamente nada, porque o que havia de bom em mim eu entreguei a você.

Hora ou outra o efeito da anestesia passa e eu me perco do controle estável que eu aprendi a dar para as coisas. Desligo o 3G para evitar qualquer tipo de conflito, qualquer tipo de sinal e qualquer tipo de surto que me faça sentir ciúmes de você. Me vacino porque sei que ciúmes nenhum aguenta uma dose de amor puro, sem mistura, sem veneno. Você colocou seus ciúmes em coma e desligou os aparelhos, e agora vive melhor assim. Eutanásia. Espero um dia poder conseguir fazer o mesmo e aceitar todos os seus amigos, seus amores passados e as pessoas que passam pela tua vida; aceitar que eles não são nada, só uma bando de gente e que quem te causa alguma coisa, algum suspiro, alguma alegria sou eu. Aceitar como você aceitou as pessoas que passam pela minha vida, e só passam, nada mais.

Demorei um tempo para assimilar, pra perceber que ciúmes é fraqueza e não gesto de amor; que ciúmes não mostra o quanto a gente gosta de alguém, o quanto a gente ama, só nos prova o quanto nos sentimos fracos, inseguros e com medo de uma série de coisas que deveriam nos causar nada. Tirei o last seen do Whatsapp e procuro alguma cama, alguma maca para colocar o meu ciúmes e desligar todas as máquinas. Eutanásia. Daqui pra frente nada de ciúmes, só amor e saudade de casa.

Escrito por Júlio Hermann, colunista do Sábias Palavras.

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEJúlio Hermann
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS