Carta que nunca nos escreveram

Não sei como hei-de começar esta carta. Se te começo por pedir desculpas, ou se te digo que sinto a tua falta. Passaram-se semanas desde a última vez que falamos, desde a última vez que te mandei aquela mensagem por ter estado a recordar, mais uma vez, todos os nossos vídeos. Não sei ao certo o porquê de te escrever esta carta, mas mais uma vez necessito de escrever tudo o que sinto. Houve dias em que não me queria lembrar de ti nem do que fomos um dia. Não passa um dia em que não olhe para uma fotografia nossa e me tente lembrar onde deixei o riso histérico que só tinha contigo e todas as trocas de carinho que sempre tivemos. Levo-te todos os dias dentro de mim. Ainda guardo tudo o que construímos e a forma como destruímos aquilo que sempre pensei e acreditei que seria eterno. Tento odiar-te. Mas não consigo. O mais ridículo, não sei, é sempre que me lembro, volto a sorrir, porque afinal nem sempre conseguimos esquecer o que um dia nos fez tão bem. Seguimos caminhos diferentes, e tentei tantas vezes seguir em frente sem ti, mas tudo me fazia recordar-te e lembrar de coisas nossas, bastaria palavras, atos ou locais, estarias sempre presente. Promessas foram feitas e quebradas, palavras ditas mas que tão rápido voaram e se esqueceram, como se no dia seguinte aquilo não passasse apenas de um sonho e que quando abrimos os olhos tudo foi esquecido, não queria nada disto, só queria ter-te de volta, bem presente nas horas dos meus dias e nas verdadeiras promessas de amizade.
Já se trocou tantas palavras sobre isto e foram apenas mesmo só palavras, se calhar, ainda espero, mais uma vez, por teimosia ou medo que digas o que pensas e sintas e que também tu corras mundos e fundos para buscar o nosso passado. Sei, eu sei , que o passado não volta, mas um novo presente e uma nova oportunidade, acredito sempre. O que me acalma, é que sei que estás bem e feliz e aquele nosso passado é apenas um passado ao qual tanto aprendemos e vivemos.Amizades verdadeiras serão sempre eternas nem que sejam apenas no nosso subconsciente.
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS