Carta ao Destino

Caro destino,

Resolvi lhe escrever porque acho que o Senhor está, mesmo, de sacanagem comigo. Venho por meio desta carta pedir que pare de fazer de mim, sua piada. Não estou de brincadeira.

Eu já nasci mulher, o que não é muito fácil. O Senhor me mandou caçula, com sete irmão mais velhos e todos homens. Sabe o que é ter sete irmãos mais velhos? Uma tortura.  Fugi deles a infância inteira. Todas as minhas bonecas tiveram suas cabeças arrancadas e hoje tenho sete cunhadas. Vou repetir para o Senhor entender. Tenho sete cunhadas. Piada pronta, né?

Na adolescência eu precisei de aparelho e óculos, sem esquecer do meu cabelo ruim. Eu era tipo “Beth, a feia”. Estudei numa escola bacana, mas tinha déficit de atenção e tive muitas dificuldades em matemática, química, física, biologia, português, inglês e geografia. Ou seja, só me dava bem em história, acho que porque eu sempre gostei de ler.

Nem preciso dizer que na educação física era sempre a última a ser escolhida, né? Gordinha eu mais parecia a bola.

Na idade adulta o Senhor também não tem aliviado. Tenho um emprego mediano, um chefe ruim e um salário péssimo. Moro até hoje com meu pai, que bebe mais cachaça do que água e com um irmão encostado que acha que é músico e toca aquela guitarra maldita toda madrugada, achando que é um “Rock Star”.

Não consegui casar. Claro que não! O Senhor se lembra dos namorados que colocou no meu caminho? O Jorge bebia tanto quanto meu pai. O Marcos, amigo do meu irmão “Rock Star”, não queria saber de trabalhar e eu vivia pagando a conta do restaurante. O Renato roncava tanto que dormir com ele era um pesadelo. E por fim o Leandro, que parecia normal, mas que tinha mais 3 namoradas, além de mim. Ou seja, na minha vida amorosa o Senhor também não está ajudando muito, né?

Isso porque nem estou colocando em pauta as pequenas travessuras que o Senhor apronta. Tipo sair para trabalhar e levar um excremento de pombo na cabeça recém lavada, o salto que quebra, o celular que cai na privada, a unha que lasca na carne e o cabelo que acorda rebelde todos os dias.

Ainda não citei o fato de ter 1,51 m de altura, né? Essa foi sacanagem mesmo. Ser quase anã não me ajuda em nada. Eu nunca andei de avião, que é onde ser baixa tem alguma vantagem.

Tirei férias e o vizinho resolveu fazer uma reforma. Dormir até tarde é, simplesmente, impossível.

Eu ainda uso óculos e os aparelhos não resolveram meus dentes tortos. Eu tenho as maiores bochechas da história e falhas nas sobrancelhas. Sou tão magra que compro roupas na sessão infantil. Sem falar no bigode. O Senhor me mandou com BIGODE!!!!! Acho que foi muito perverso nesse detalhe.

Bom, como pode ver, apesar de tudo que o Senhor fez comigo eu ainda não matei ninguém, não me droguei, não me prostituí, não fugi de casa e nem destruí nenhuma guitarra.

Eu ainda acredito que posso ser feliz um dia, que vou encontrar o amor verdadeiro, que devo receber um salário digno e que meu cabelo, um dia, vai acordar comportado.

Não estou lhe pedindo muito. Apenas que minha vida deixe de ser uma piada. Quero conseguir fazer um rabo de cavalo em menos de 10 minutos e dormir até tarde nas férias. O Senhor pode me ajudar a encontrar um namorado razoável? Não precisa ser um príncipe encantado, pode ser um trabalhador incansável. Me ajuda a aguentar a dor de tirar o bigode e as sobrancelhas? Ah, e não esquece de me mandar uma chapinha e algum salto alto. Preto, por favor.

Preciso de umas lentes de contato também. Cansei dos óculos. E, se puder, some com a guitarra. Quero conseguir dormir uma noite inteira.

Tire do meu caminho os pombos, as poças d´água, os piolhos e as baratas voadoras. Tenho pavor delas.

O Senhor está rindo, não é mesmo? Eu sei, eu também estou, mas espero que depois desta carta, o Senhor se compadeça da minha situação e me mande uma ajudinha.

Certa de sua compreensão e grata pela atenção.

Beijos! (Não sei se posso mandar beijos ao Destino, mas não sabia como encerrar a carta)

 

PS: Pode me mandar um pouco de peito, coxa e bunda, como uma bonificação? Eu seria eternamente grata por isso!

Escrito por Monika Jordão, colunista do Sábias Palavras.

Escritores4-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEMonika Jordão
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS