ASSUNTO SÉRIO: Música sertaneja faz apologia à divulgação de fotos e vídeos íntimos de mulheres na internet

A gente não está acreditando no que nossos olhos enxergam e nossos ouvidos escutam, mas infelizmente o clipe a música Eu Vou Jogar na Internet, da dupla sertaneja goiana Max e Mariano é real. Se você não sabe do que se trata, é “apenas” uma música que fala sobre um cara que se gravou fazendo sexo com uma garota, que lhe deu um fora e agora vai colocar o vídeo online.

Com um refrão pra lá de babaca que diz “Eu vou jogar na internet/ Nem que você me processe/ Eu quero vera sua cara/ Quando alguém te mostrar/ Quero ver você dizer que não me conhece”, a música faz apologia ao revenge porn (pornografia de vingança), que é o ato de divulgar fotos e/ou vídeos íntimos na parceira na internet como forma de vingança.

É um absurdo completo pensar que em um período em que o assunto vem sendo tanto discutido e que faz tantas vítimas no Brasil e no mundo, que acabam entrando em depressão ou até mesmo chegam a cometer suicídio, uma música fala sobre o revenge porn como algo super legal. A dupla, é claro, recebeu inúmeras críticas, e chegou até a deletar sua conta no YouTube, sua página no Facebook e seu site oficial, mas como as coisas se espalham, o vídeo ainda pode ser visto:

https://www.youtube.com/watch?v=Gi_P9aFYs8c

O Senador Romário Faria (PSB/RJ), que apresentou um projeto de lei que criminaliza essa atitude, foi uma das pessoas que se indignou com a música e o vídeo e publicou uma nota de repúdio:

“Assunto muito sério, galera!
Recebi a música de dupla sertaneja que me deixou indignado. A letra narra uma história muito comum, infelizmente, mas que é crime: a pornografia de vingança. Inconformado com algumas atitudes de uma garota, um cara ameaça se vingar publicando na internet uma cena de sexo dos dois. O clipe do vídeo tem milhares de visualizações nas redes sociais da dupla.
O refrão da música diz: “Eu vou jogar na internet. Nem que você me processe. Eu quero ver a sua cara quando alguém te mostrar. Quero ver você dizer que não me conhece”. E como se não bastasse, o vídeo ensina a fazer uma gravação escondido, em uma espécie de emboscada para a vítima.
Isso é apologia ao crime. Hoje esses atos covardes são enquadrados em difamação e injúria, que têm pena relativamente branda. Por isso apresentei um projeto de lei (PLS 63/2015) que tipifica como crime o ato de divulgar fotos e vídeos íntimos sem a autorização da vítima. O acusado poderá pegar pena de até três anos de detenção, além de ser obrigado a indenizar a vítima por todas as despesas decorrentes de mudança de domicílio, de instituição de ensino, tratamentos médicos e psicológicos e perda de emprego.
Isso não é brincadeira. As consequências para as vítimas são gravíssimas. A integridade física, moral e psicológica das vítimas são abaladas depois de terem a vida íntima exposta desta forma.
Não podemos ficar calados diante de crimes como esses!
Denunciem o vídeo!
Descrição da Imagem ‪#‎PraCegoVer‬: Imagem borrada do print do clipe, com um casal se beijando. Em cima, há a frase ‘Denuncie! Música sertaneja faz apologia à pornografia de vingança’”

A dupla se diz assustada com a repercussão que a música e o vídeo tiveram e se defenderam em entrevista ao G1: “Pedimos desculpas para quem se sentiu ofendido e, por respeito a essas pessoas, tiramos o vídeo do ar. Mas isso não maltratou ninguém e não incentivamos ninguém a fazer isso. Trata-se de um fato, de como as coisas acontecem”.

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS