As Cartas de Amor Que Nunca Enviarei

Escrito por Sonia Matos, colaboradora do Sábias Palavras.

Dolorosa a realidade, de se perceber tardiamente, que não fora amado. A dor indescritível de um sofrimento evitável, que não se evitou.

 

Estive relembrando as palavras cortantes que me disse.

Olhando para trás, consigo visualizar uma das conversas que tivemos, e lembro-me bem de você dizendo que quando amava, sentia-se o máximo, como se estivesse envolto por uma aura, uma energia sedutora que o fazia sentir-se tão poderoso quanto um Deus.

A verdade é que você esperou até o momento em que pudesse ter certeza de quão apaixonada eu estava, você queria elevar o seu ego e sentir-se bem. E quando estava convencido de meus sentimentos por você, pode em toda sua obscura glória mostrar sua face impiedosa.

Dolorosa a realidade, de se perceber tardiamente, que não fora amado. A dor indescritível de um sofrimento evitável, que não se evitou.

Carência perigosa…

E hoje estou convencida de que há em você, a esterilidade de sentimentos.

Sádico Impiedoso!

Você é um Killer Emocional!

 

Essa é mais uma carta de amor que nunca lhe enviarei.

 

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS