Amor sem liberdade não sobrevive.

Eu sei que parece que não vai passar, sei que mais dói se desapegar da ilusão que criamos de alguém, sei que, às vezes, tudo que a gente quer é ouvir que ele gosta da gente de uma forma clara e simples, sem rodeios, mas acabamos nos perdendo em mensagens subliminares que escondam nossa vulnerabilidade. Mas se você quiser ficar com ele, vai acreditar. E se não, não vai. Ou seja, antes de confrontar suas escolhas é bom que já tenha esclarecido pra si mesma como se sente em relação a ele.

Se ele disser que gosta de ti, isso vai ser o bastante? Qual é a verdadeira resposta que você está buscando? Será que essa resposta não seria algo que precisaria dizer a si mesma? Será que não está colocando nas mãos dele o peso da sua própria decisão? Já pensei em todas essas coisas… Já me senti exausta ao final de algumas conversas. Cansada de lutar, cansada de gostar, cansada de fazer qualquer coisa pra essa relação existir. Mas, na verdade, a maioria do conflito havia existido dentro mim. Amor não é prender e ser livre não é evitar se envolver. O problema está em separarmos duas forças que se completam: liberdade sem amor não compensa e amor sem liberdade não sobrevive.
Bobagem sua evitar se envolver de novo só porque alguém não soube te valorizar. Às vezes, quando certas pessoas nos deixam é pra que vejamos que nunca foram tão boas assim Acontece que se você puder se amar muito, o bastante pra não duvidar que mereça alguém melhor, não vai hesitar em desapegar de quem não te oferecer isso. Com o tempo, aprendi a ir embora mesmo querendo ficar. Aprendi que quando uma relação termina nem sempre é o fim do amor. Aprendi que é melhor engasgar-se calada com um “então, vai!” do que dizê-lo aos gritos. Que excesso de verdade no peito fratura o coração. E, com o tempo, que tudo isso também passa.
Escrito por  Bendita Cuca
COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS