Amiga, me escuta

Há quanto tempo nos conhecemos? Você também não tem a sensação de que desde sempre? Não consigo me lembrar de como era a minha vida antes de te conhecer, mas sei que ela está bem melhor desde que você apareceu.
Você é mais do que uma amiga. Você é mais do que uma irmã. Você sou eu mesma em outro corpo. E eu te amo tanto que às vezes chega a doer.

Lembra daquela viagem que fizemos para o sítio? Eu guardo no lugar mais bonito da minha memória.
Você estava tão feliz! E eu também. Parte da minha felicidade era em te ver feliz, e sei que parte da sua também era em me ver feliz. Felicidade só é completa quando compartilhada. E estávamos tão plenamente felizes que naquele dia quando seguramos uma na mão da outra para atravessarmos aquela ponte que balançava com o vento forte, eu prometi a mim mesma que nunca mais soltaria a sua mão. Eu prometi cuidar de você para sempre.
Eu prometi com todo o meu amor. Com toda a minha dedicação. Com toda a minha sinceridade. Amigos são a família que temos a oportunidade de escolher. E eu escolhi você. E das minhas escolhas eu cuido, cultivo, protejo e encorajo.

Você não vai gostar das palavras que virão a seguir, mas elas precisam ser ditas. Você vai negar, você vai querer não enxergar, mas eu preciso abrir os seus olhos. Mesmo que eu não consiga, eu preciso ao menos tentar.

Então, amiga, me escuta. Mas escuta com atenção. 

Você conhece todos os meus segredos, e eu os seus. Sabe de todos os meus medos e eu dos seus. Decorou todos os meus sonhos e eu os seus. Não temos segredos. Você sabe de tudo sobre mim e eu sobre você. Mas tem algo que você não sabe. Você não sabe nada que vale a pena saber sobre você mesma. 

Se você soubesse o quão forte é o seu brilho, nunca deixaria que ninguém o apagasse.
Se você soubesse o quão lindo é o seu sorriso, nunca deixaria que ninguém o tirasse.
Se você soubesse o quão bom é o seu coração, nunca deixaria que ninguém o quebrasse.
Se você soubesse o quão importante você é, nunca deixaria que ninguém te dissesse o contrário.

Porque você deixa que te digam o contrário? Que pecado tão imenso você cometeu para se auto punir em manter um relacionamento que só te causa dor, angustia e mágoa? Porque você insiste, dia após dia, em manter tristeza onde deveria reinar alegria?

Amiga, quando éramos pequenas e sonhávamos com o nosso príncipe, era isso o que você imaginava? Era esse o homem dos seus sonhos, que você chegava a suspirar alto quando tentava descobrir qual seria a primeira letra do nome dele na brincadeira da latinha? Me diz. Era assim que você imaginava viver, escondendo dos conhecidos o rosto inchado e vermelho das madrugadas acordada chorando?  

Eu tento entender, amiga. Eu tento ficar feliz por você, mas é difícil ficar feliz por alguém que não está feliz.
E eu não aguento mais.
Não aguento mais te ver transbordado de dor.
Não aguento mais ver as suas cores indo embora.
Não aguento mais você deixando de ser você mesma.
Porque cada vez que você morre um pouquinho por dentro, eu morro um pouquinho por dentro também.

Amiga, você precisa saber uma coisa sobre o amor.
Amor não sobrevive em ambiente de humilhação. Amor não divide território com mentiras. O amor é grandioso de mais para se rebaixar a compartilhar espaço com traições.
Isso que você acha que é amor, não é amor. É abuso.
Onde há abuso, não há amor. E onde há amor não há abuso.

E não pense que estou contra ele. Eu não estou contra ninguém. Eu apenas estou a favor de você.
Nunca perdi uma noite pensando nele, mas tenho perdido semanas, meses inteiros pensando em você.

Então me diz o que você precisa pra sair dessa situação.
Um conselho? Eu tenho uma mala cheia deles. Alguns vocês mesma me deu.
Uma mão amiga? Eu tenho duas.
Um puxão de orelha? Já posso ir estalando os dedos desde agora.
Eu não sei do que você precisa, mas sei que eu tenho.
E se eu não tiver, vou até o fim do mundo encontrar. Mas eu volto.
Eu volto porque sem você eu não sigo.

Então, por favor, volta, amiga.
Volta a ser a mulher incrível que eu vi ao longo dos anos você se transformar.
Volta a ter o mundo nas suas mãos.
Volta a ser dona de si mesma. Dona das suas vontades. Dona da sua vida.
Volta a estampar o sorriso mais lindo e sincero de todos.
Volta a ser exemplo de tudo de bom que uma pessoa pode ser.
Volta a amar e se dedicar à pessoa mais incrível que eu já conheci até hoje: você.

Eu não sei do que você tem medo, mas saiba que não existe medo grande o suficiente que consiga nos assustar quando temos amigos.
Você não sabe que quando você me chama, eu deixo as minhas dores no canto do quarto e vou correndo te ajudar a carregar a sua?

__________
Escrito por Marina Barbieri

Publicado em Deu Ruim

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS