Alguém. Maiúsculo

Eu preciso de alguém.

Eu preciso de alguém me chamando por um apelido bobo carinhoso.

Eu preciso de alguém. Não importa quem.

Ele não precisa gostar de The Who, usar camisa xadrez ou lembrar de tirar o boné para sentar na mesa do jantar. Não precisa saber cozinhar ou lembrar de cor a tabuada. Ele pode ser um pouco preguiçoso e até mal-humorado pela manhã.

Eu preciso de alguém que aceite os meus filmes românticos em algumas noites chuvosas de sábado e que entenda o quão legal é ir para balada e dançar esquisito ao lado do seu par. Meu amor não precisa ter o cabelo liso, a barba da moda nem a barriguinha sarada. Ele pode roer unhas, falar enquanto come, cantar desafinado, ou não saber tocar violão.

Eu preciso de alguém que escreva poemas, mas se não encontrar um poeta, tudo bem. Basta que deite o seu rosto em meu  ombro  quando as palavras faltarem.

Esse alguém não precisa combinar comigo, eu só preciso saber que ele existe e que é meu. Imperfeitamente meu, imperfeitamente nosso. Já faz tempo que eu percebi que os príncipes são a parte mais chata de uma história. O meu melhor alguém será apenas aquele que estiver disposto a me dar as mãos e falar: vamos embora.

FONTESem Caô
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS