Ah, se eu pudesse dormir e acordar contigo

O que será que acontece, quando penso em você e, enfim, sorrio? O que será que me dá, quando penso em encontrar-te e, não controlo o suspiro? Tenho um desejo sincero de ver-te diariamente e, acariciar-te – eternamente. Tenho uma vontade crescente, de ser – permanentemente – a tua razão de viver.

Nada mais importa, quando bato à tua porta. Nada mais espero, quando diz-me: “te quero”. Nada mais machuca, quando sei que tenho a culpa. Nada é mais perfeito, que o teu próprio – e tão único – jeito. Os domingos não são os mesmos, quando não estou contigo. Os sonhos não são bonitos, quando não durmo contigo. Os filmes não fazem sentido, quando não os assisto contigo. Pois contigo quero passar todo o tempo possível e, a cada contado segundo, quero contar com você.

O que acontece em meu peito, quando acordo assustado – olho depressa para o lado – e você está? Tenho vontade de não sair. Tenho medo de dormir e não mais acordar. Tenho um pavor brutal, de alguém – um dia – lhe fazer algum mal e, eu não poder te ajudar. Por quê será que sofro quando não vens? A tua presença cessa as minhas lágrimas e cala o meu pranto. A tua ausência provoca desespero e isola o meu coração num canto.

Qual é o segredo que escondes no fundo do olhar, que diante da tua presença, cego e paraliso? Tu tens dos venenos de amor, o mais forte e preciso; que vaga veloz e faceiro nas veias do ar. Machuca-me a falta de ti quando então vou-me embora. Durmo mais cedo e passo a sonhar contigo. Mas quando esqueço a triste solidão de agora, vem um raio de sol e se torna o meu pior inimigo.

Ah, se eu pudesse burlar a madrugada. Ah, se eu pudesse dormir e acordar contigo. Teria o amor ao redor da mais pura verdade. Teria motivo para um dia, então, sentir saudade.

Fonte: Fellipo Rocha

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS