Adeus, sentirei saudades

Mais do que as incontáveis vezes em que tu me desconstruiu com o teu sorriso, tu ajudou a construir isso aqui o que eu sou. Parte de tudo isso o que eu sou eu devo a ti, aos teus puxões de orelha, as fugas da realidade, aos nossos fins de semana. Tu fez de mim um alguém melhor.

Como eu sei disso? Eu vivi muito tempo sem ti, e de tudo aquilo o que eu não sabia que era, agora tenho consciência do que sou. Amor é matemática simples, é soma. Você mais eu e nós dois um pouco melhor, um pouco mais felizes.

Mais do que das incontáveis vezes em que tu me tirastes o fôlego, eu sou grato por tu ter me tirado as rodinhas da bicicleta da vida e ter me feito aprender a pedalar sozinho. Aprendi a me virar pra levar a vida da gente. Aprendi a ser como sou para fazer da gente um pouco melhor, e é por isso que eu sou grato a ti.

Se não fosse pelos teus puxões de orelha, por nossas fugas da realidade e por nossas noites regadas ao teu Cabernet favorito e alguns lençóis suados, talvez eu nunca teria me formado isso aqui o que eu sou. E eu sou grato a ti por isso. Mas chega uma hora que todos nós precisamos ir embora.

Nos contentamos por muito tempo vivendo com as migalhas que a vida nos dá. Pra nós era banquete. Sobrava. Transbordava tudo aquilo o que havia de bom em nós dois, porque éramos o melhor que nós dois poderíamos querer. Mas uma hora o fogo enfraquece, e, é melhor queimar do que apagar aos poucos.

Acho que por mais cruel que seja, talvez essa seja a maneira mais mansa que eu possa ir embora da tua vida. Nós dois vamos sofrer, você vai sentir raiva por me ver partir assim e vai contestar toda essa minha gratidão. Não te julgo. A raiva vai te ajudar a fugir das mágoas que ficarão e te ajudarão a superar mais rápido esse fim que hora ou outra sempre vem, enquanto eu, fingindo que posso ser um pouco mais feliz de outra forma, vou tentar levar a vida com uma lembrança bonita a mais no bagageiro. Ouvi dizer que o amor que mais dói quando se vai é aquele que quando ele se vai, se vai sem motivo, quando o fogo apaga e não há maneira de reacender; quando não há mágoas nem motivos para sentir raiva. E eu não queria isso pra gente.

Por isso essa é a nossa despedida. Assim, sem tchau, sem abraço demorado em sala de embarque de aeroporto, mas com saudade. Saudade e a certeza de que isso é o melhor para nós dois. Seria injusto insistir em algo que hora ou outra ia ferir mais fundo do que isso aqui.

Sinta-se abraçada em todas as vezes que sentires a minha falta e em todas as vezes que a vida te der um solavanco. Sinta o meu sorriso a cada vitória nova que tu alcançares e guarda contigo toda a certeza da minha gratidão.

Obrigado. Isso aqui é pra te agradecer e pra te dizer que te amo. Te amo por isso tudo, e é por isso que eu vou embora. Quero nos privar de tudo aquilo o que um dia poderá nos derrubar, de tudo o que um dia poderíamos deixar de ser. Te amo por tudo aquilo o que tu és, e por tudo aquilo o que, agora, eu sou. Um frio e necessário adeus. Com sinceridade, sentirei saudades.

Escrito por Júlio Hermann, colunista do Sábias Palavras.

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEJúlio Hermann
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS