Acabou, boa sorte.

Depois de tanto tempo, eu ainda busco explicações de como a gente se entendia tão bem e como a gente deixou de se entender. Eu sempre achei que você fosse especial, e insistia em continuar olhando pra trás pra lembrar das coisas boas que você me fez e acabava ignorando todas as coisas ruins que você fez nos últimos meses, agora que comecei a olhar direito o que passou, agora que comecei a aceitar que o que se foi não volta mais, e considerando que você já se tornou passado e compreendendo que essa distância entre a gente está me fazendo melhor do que a distância que eu sentia ao seu lado, vejo que você não é mais tão importante assim pra mim e pra falar a verdade, nem sei porque eu insistir em achar que você era.

Acontece que eu não posso mais lidar com o fato de você me querer de uma forma diferente da que eu te quero. Melhor eu ficar definitivamente só do que se sentir sozinha com você. Vou tentar te esquecer, cê vai ver. E se você um dia lembrar de mim, faz como eu: finge que por enquanto me esqueceu, ou melhor, finge que nem existiu.  Cê pode ir, cê tá livre pra encontrar alguém na mesma condição que você e quando encontrar, não precisa me ligar pra dizer que está bem, se estivesse mesmo bem, não teria essa necessidade de explicar a sua felicidade pra mim, se estivesse mesmo preocupado e ocupado com outra pessoa, a minha ausência não continuaria te preocupando tanto. Você me deixou com poucas escolhas e se a melhor delas é colocar um fim nisso, tudo bem. Com você dói mais do que traz conforto.
Eu ainda tentei insistir te perguntando se era isso mesmo que você queria, mas você já tinha se decidido, tudo bem, a gente não pode exigir do outro o que ele não está disposto a nos dar. É melhor você seguir sem mim, é melhor eu procurar alguém que me procure, que se preocupe e que me acompanhe. Você vira as costas pra mim quando algum amigo seu aparece e sequer me apresenta como uma amiga da empregada da empregada da empregada da sua tia. Olha torto pra mim o tempo todo, minha graça não te atrai o sorriso, cê só me tem como distração, diz não, recusa convites, mil e uma desculpas pra não me ver. Quando te peço explicações, você se cala. Quando te procuro pra tentar entender o que você deixou em branco, você disfarça. Faz o seguinte, quando você sentir falta de mim e se sentir inseguro por se envolver com três pessoas diferentes que – juntas – não são nem metade de mim, fecha os olhos e finge que me esqueceu, aceita também que ninguém será assim, como eu.
Não me ligue mais. Não me procure mais. Não me chame mais no Whatsapp, por favor, não me atormente mais. Se me ver na rua, atravessa pro outro lado. Você sempre sai da minha vida e, quando menos espero, volta só pra bagunçar tudo outra vez. Você sempre se despede como se não fosse mais voltar e só volta quando o teu voo não alcança a distância que você esperava alcançar. Você sempre vai embora reclamando de mim e só volta quando percebe que não consegue, ainda, andar sozinho sem tropeçar nos próprios passos. Você vai dizendo que a saudade não vai te incomodar, que nada te fará lembrar de mim, sempre tão seguro no que quer e decidido no que faz, mas logo volta dizendo que estava errado, me pedindo mais um pouco de colo, calma e cama. Acontece que agora, cê já pode ir, encontrar alguém que concorde com todas as suas despedidas e aceite todas as suas voltas enquanto você não consegue se tornar um homem de verdade. Você não pode achar que me faz bem assim, e eu cansei de achar que minha vida só fica melhor com você. Tudo bem que com você eu me sentia um pouquinho só mais satisfeita, mas eu não posso e nem quero mais me satisfazer com tão pouco. Eu não posso mais achar que a minha vida gira em torno da sua, que os espaços que você preenchia não podem ser preenchidos. Não posso adiar mais nenhum dia da minha vida por você. Acabou, boa sorte.
FONTEIandê Albuquerque
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS