A última gota

Juntei suas coisas em uma caixa. Fotos, roupas, acessórios e até seu tênis de corrida que ainda estava lá. Tentei me livrar de tudo o que me lembrava você. Pensei até em jogar fora, mas preferi devolver. Deixei o perfume que me deu de presente guardado em uma gaveta.

Já se passaram dois meses. Não vou mentir, você faz falta, teus abraços e teus beijos, antes inquietantes, agora corroem minha alma. Mas não posso me sentir culpada, o erro foi seu.Digo isso em alto e bom som, pois sei que fez sabendo das consequências.

Talvez eu tenha brigado um pouco demais por estar exausta de receber migalhas, talvez eu tenha discutido em ocasiões inoportunas ou usado todo seu shampoo anticaspa. Talvez eu tenha exagerado na pimenta da comida ou ficado em casa quando você queria sair. Eu estava cansada, precisava da sua ajuda, do seu carinho e, principalmente, de você.

Então, sim. O erro foi seu, por ter me deixado sozinha para ir naquela festa da faculdade. Ter bebido demais e passado dos limites, ter dormido com a colega e chegado tarde em casa.

Tuas coisas já não cabem mais em uma caixa, juntei tudo em sacolas e deixei em frente à sua porta. Fiquei atrás do arbusto para ver você sair com cara de sono, se abaixar, olhar para os lados e entrar novamente. Confesso, queria que ao menos tivesse me procurado, ou demonstrado alguma reação. Nada.

Passei os últimos meses dizendo para mim mesma que, quando aquele perfume acabasse, seria o fim.

Já faz mais de um ano que ele está lá, arrumei mil desculpas para não usá-lo, comprei umas colônias baratas para não desperdiçá-lo. Depois de tanto tempo, alguém me chamou para sair.

É chegada a hora de me despedir. Borrifo a última gota nos punhos com um sorriso magoado, mas me percebo aliviada e sei que, agora, já não fazes mais parte de mim.

TEXTO DEAndressa Machado
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS