A pior solidão é a que sentimos quando não estamos sozinhos

Escrito por Marcel Camargo, colunista do Sábias Palavras.
Veja mais sobre Marcel clicando aqui.

 

Solidão é estar ao lado de quem não nos percebe, é passar o dia esperando em vão, olhar o horizonte e não vislumbrar novos caminhos. Solidão é tristeza, desamparo, é a falta do que temos sem possuir, do que se vê sem existir. Solidão é estar acompanhado por quem não está verdadeiramente junto.

 

A solidão tem muito mais relação com o tipo de companhia que nos acompanha do que com a ausência de alguém ao nosso lado. Podemos nos sentir solitários mesmo em meio a multidões, mesmo que estejamos com amigos à nossa volta, mesmo que tenhamos um companheiro vivendo conosco. Isso porque as pessoas podem estar por perto, mas sem estar juntas de verdade; elas podem estar próximas fisicamente, porém distantes afetivamente. Isso é solidão do mesmo jeito.

 

Solidão é estar ao lado de quem não nos percebe, não nos valoriza, não conversa conosco nem se interessa de verdade pela nossa vida. É acordar esperando ao menos por um olhar, por uma palavra, por um convite; é sentir a frieza do vazio que nossas mãos encontram ao procurar pelas mãos de quem a gente ama sem ter retorno.

 

Solidão é passar o dia esperando, em vão, por uma mensagem de carinho e de consideração, um telefonema, um sinal afetivo, um carinho qualquer. É não receber nada em troca, enquanto se doa, enquanto se dedica, enquanto se entrega com inteireza e sinceridade, enquanto se cultiva o apego ao que fora prometido, às palavras e promessas ditas lá atrás ou ontem mesmo.

 

Solidão é olhar o horizonte e não vislumbrar novos caminhos, é sonhar com falsas esperanças, é agarrar-se a um passado que não teve futuro, é esperar cada amanhã com desesperança, tendo os olhos marejados enquanto se enxergam somente nãos. É manter expectativas insustentáveis, valer-se da utopia para poder sobreviver sem sucumbir ao desânimo e ao amargor da derrota, da falência dos sentimentos.

 

Solidão é ausentar-se de si mesmo, como que se afastando de tudo aquilo que fere, machuca, ressente, na tentativa de escapar de um vazio que sufoca e grita por atitudes e por mudanças que teimamos em evitar. É viver no passado que foi melhor e sobreviver de um futuro que não tem chances de se concretizar. Solidão é tristeza, desamparo, é a falta do que temos sem possuir, do que se vê sem existir.

 

Todos, portanto, temos que estar bem seguros quanto ao que queremos de nossas vidas, quanto ao tipo de amor e de amizades que nos fazem bem, para que não aceitemos migalhas de quem não está nem aí para nossos sentimentos. É difícil romper definitivamente com o que nos faz mal, porém, libertar-se do que é inútil e danoso será uma das melhores maneiras de se alcançar a felicidade completa e verdadeira que todos merecemos em vida, com ou sem alguém ao nosso lado.

TEXTO DEMarcel Camargo
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS