A motivação que eu chamo de você

Acabo de entrar naquele café que costumávamos ir logo que começamos a namorar, lembra?

Sentei e o mesmo garçom de sempre (ele ainda trabalha aqui, só que agora com alguns fios de cabelos brancos, te juro) veio para anotar meu pedido.

– Quanto tempo, senhor! O que vai ser hoje?

– Aquele expresso duplo, caprichado, por favor!

Olhei todo aquele lugar, mais uma vez e pensei: Caramba, quanta coisa nós dois já vivemos, não é mesmo? Lembro de uma certa vez em que eu lia a crônica de sexta-feira do Verissimo e quando terminei, ergui os olhos e você estava ali, me observando com os olhos brilhando e um sorriso que demonstrava imensa satisfação no seu rosto. Foi aí também que lembrei, que deveria ler o jornal de hoje, afinal, deve ter saído uma crônica nova.

Folheio com cuidado cada página, procurando o meu objetivo e não vejo nada além de tudo de ruim que acontece aqui na região no momento. A chuva alagou as ruas, existem pessoas desabrigadas, sem contar os assaltos que estão acontecendo nas regiões mais baixas da cidade. Como alguém pode tirar motivação de um jornal que traz tudo isso?

Passo mais algumas folhas em direção ao final do jornal e é quando fecho, ali, debaixo da folha da capa, depois de tantas tragédias e crises, que eu encontro a melhor notícia que poderia ter hoje, quando a luz do meu celular acendeu, ali, naquela foto, achei a motivação que precisava para aquele dia, para aquele mês e para aquele ano. Como depois de uma crônica lida os olhos voltaram para a realidade próxima e eu encontrei o que precisava para me motivar. Mais uma vez:

Teu sorriso e teu olhar.

Escrito por Bryan Gabriel, colunista do Sábias Palavras.

Escritores3-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEBryan Gabriel
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS