A beleza não está nos olhos, está nos olhares

Em seu dicionário de emoções obscuras, Jhon Koenig dá nome a uma emoção complexa, que é a que sentimos quando cruzamos com alguém na rua e a olhamos nos olhos por alguns segundos. Parece que nos espiam ou que espionamos por um pequeno buraco na parede, e isso nos faz sentir vulneráveis. A emoção agora tem nome: opia. Porque não são os olhos que irradiam beleza, são os olhares.

Quando viajamos de ônibus, estamos sentados em um restaurante ou caminhamos pela nossa cidade, cruzamos com pessoas muito diferentes, e às vezes trocamos olhares, sem nem mesmo nos darmos conta. Os olhares dizem muitas coisas sobre nós, nos traem quando estamos tristes, entediados, apaixonamos, preocupados ou cansados.

“Eu nem sequer sei o seu nome, só sei o olhar com que me disse.”
-Mario Benedetti-

Descubra o que há por trás de um olhar

Se nos sentamos diante de uma pessoa, lhe perguntamos como ela se sente e ela sorri para nós, talvez se olharmos nos olhos podemos ver que esse sorriso não é real, que não acompanha o que a pessoa realmente sente. Os olhares fazem parte da comunicação não verbal e nos ensinam muitas coisas sobre os outros.

Os movimentos dos olhos têm sido estudados pela Programação Neurolinguística (PNL) que chamou essa linguagem dos olhos de “chaves de acesso ocular”. Bandler e Gringer, fundadores da PNL, assistiram a muitos vídeos para decifrar o significado dos movimentos oculares. Eles chegaram a uma conclusão clara: dependendo do tipo de movimento dos olhos, as pessoas podem estar utilizando diferentes partes do cérebro e diferentes sentidos, por isso podemos falar de quatro sistemas distintos de processamento:

  • Visual. Quando uma pessoa olha para o canto superior direito geralmente está construindo uma imagem, e se olha para o canto superior esquerdo, está recordando uma imagem.
  • Auditivo. Uma pessoa que recorda sons olha para a esquerda, e se os constrói, olha para a direita. Em muitas ocasiões este movimento dos olhos vem acompanhado de uma inclinação da cabeça.
  • Cinestésico. Se uma pessoa olha para o canto inferior direito, significa que está tendo acesso aos seus sentimentos; por exemplo, quando estamos tristes, temos a tendência de olhar para baixo.
  • Auditivo-digital. No caso em que dirigimos nosso olhar para o canto inferior esquerdo, estamos falando de nós mesmos.
“A alma que pode falar através dos olhos também pode beijar com o olhar.”
-Gustavo Adolfo Béquer-

Mas nem todas as pessoas funcionam desta forma, e às vezes até mesmo combinam sistemas de processamento diferentes, por isso temos que ter cuidado ao generalizar. Para saber como uma pessoa funciona, podemos fazer perguntas simples, por exemplo: “Como você imagina o seu trabalho no futuro?”. Dessa forma, veremos a forma de reagir perante às criações visuais e teremos um ponto de partida para interpretar as suas formas de olhar.

O poder dos olhares

Um olhar pode ser interpretado de muitas formas, mas também pode transmitir muitos sentimentos e emoções. A revista Psychology Today publicou um artigo no ano de 2014 no qual apresentou as conclusões que tinham sido alcançadas sobre o poder dos olhares. As conclusões se resumem em cinco seções:

O contato visual excita

Se olharmos fixamente nos olhos de outra pessoa, geramos uma sensação de excitação, embora a interpretação do olhar dependa do contexto em que nos encontramos. Se uma pessoa que não conhecemos olha fixamente para nós por muito tempo, podemos interpretar isso como uma ameaça ou um perigo e sentir medo. No entanto, se se trata de uma pessoa que conhecemos ou de quem gostamos, um olhar intenso pode causar excitação sexual.

Os olhos revelam se um sorriso é ou não é sincero

Para distinguir se um sorriso é sincero ou não, o psicólogo Paul Ekman diz que temos que observar o olhar. Se um sorriso é honesto e sincero, os olhos se afinam e criam pequenas rugas no canto, conhecidas como pés de galinha.

A dilatação da pupila indica interesse

Se uma pessoa estiver interessada, suas pupilas se dilatam, e essa dilatação nos faz parecer atraentes. Neste sentido, foi realizado um estudo em que os pesquisadores mostravam duas fotos de uma mulher, e em uma delas o tamanho da pupila estava artificialmente alterado. O resultado foi que os participantes consideraram mais atraente a mulher da foto com as pupilas mais dilatadas.

O olhar recíproco é um sinal de amor

Pesquisas têm observado que o contato visual mútuo intenso é sinal de interesse recíproco. Esse olhar sustentado entre duas pessoas que já se conhecem denota admiração e amor.

O contato visual pode ser enganoso

Sempre se pensou que as pessoas que mentem tendem a desviar o olhar, mas na verdade uma pessoa mentirosa coloca toda a sua energia em fazer com que o interlocutor acredite, por isso olha mais intensamente nos olhos. Pelo contrário, quem fala a verdade não precisa provar nada, então pode se distrair e olhar para outro lugar em vez de olhar para os olhos do seu interlocutor.

“Deixa-me entrar, deixa-me ver algum dia como veem teus olhos.”
-Julio Cortázar-
FONTEA Mente É Maravilhosa
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS