9 Hábitos que podem destruir uma relação saudável

Escrevo, habitualmente, sobre relações tóxicas, doentias e abusivas, nas quais, quase sempre, está presente algum transtorno de personalidade.

Quando se trata dessas relações, não há qualquer coisa a ser evitada a não ser a própria relação. A ordem é correr para longe e nunca mais olhar para trás.

Por outro lado, é um erro pensar que ter uma relação saudável significa ter uma relação sem problemas. Às vezes, estamos diante de alguém porreiro, sem qualquer perturbação mental, com quem a relação é boa e flui bem, mas que tropeça diante de questões que, com amor e empatia pelo outro, é possível resolver facilmente.

Saiba algumas das coisas que você NÃO DEVE FAZER para evitar estragar uma relação saudável.

1. Ameaçar terminar sem ter realmente a intenção

Qualquer briga e lá vem a frase “isso aqui já era” ou “então vamos terminar”, para alguém que ama de verdade, a ameaça do término é algo muito doloroso.

Se você é aquele que tem o hábito de dizer isso em qualquer discussão, observe a reação da outra pessoa. Percebeu que machuca? Mas atenção! Se logo depois  age como se nunca tivesse dito isso, uma hora o medo do término deixa de existir e vê-se diante da seguinte resposta: “Quer terminar? Demorou!”, correndo o risco de nunca mais ver a pessoa diante dos olhos.


2. Exigir atenção ou disciplina de forma exagerada

É claro que desejamos parceiros atenciosos, mas não transforme essa necessidade num martírio para o outro. O excesso de cobrança (não ligou quando disse que ia ligar, não respondeu a mensagem na hora, não fez exactamente como combinamos, etc ) pode acabar por sufocar e fazer com que você passe a ser visto como egoísta, que se comporta como se o dia do outro girasse em torno de si. Tente pensar na importância daquilo que tomou toda a atenção do seu parceiro e sossegue.


3. Esperar sempre que o outro peça desculpas

Numa relação saudável, não importa quem cometeu o erro. É exactamente no momento em que erramos que precisamos de compreensão. Demonstre-a, não fazendo com que o outro se humilhe perante si. Se a borrada não foi sua e não achar que deve pedir desculpas, saiba que, ainda assim, na maioria das vezes, um pouco de bom humor resolve.


4. Mau humor

Existem pessoas que ficam de mau humor porque acabaram de acordar, porque é domingo à noite, porque o clube perdeu ou porque tem um sobe e desce de emoções ao longo do dia. Isso faz com que o parceiro pise em ovos, levando-o à exaustão por não saber quando verá surgir no rosto do outro a sombra de que “o tempo vai fechar”.

Se tem problemas de humor, procure ajuda profissional. O seu parceiro não é obrigado a adequar-se a mudanças injustificadas de humor o tempo todo.


5. Nunca ajudar com tarefas da casa

Num mundo moderno, no qual ambos trabalham, não há nada mais desgastante do que ter de cuidar da casa, roupa, filhos, carro e comida sozinho.

Há parceiros que se recusam a ajudar porque nunca tiveram que ajudar na casa dos pais ou simplesmente porque não gostam dessas tarefas. Contudo, é preciso lembrar que o outro pode também não gostar dessas actividades, mas ainda assim realiza-as para o seu bem estar. Então, por que não retribuir?


6. Enterrar-se na rotina

O trabalho, as obrigações, os compromissos, o trânsito, tudo conspira para que vivamos na mais perfeita harmonia com a rotina. Espere. Não há nada de mau na rotina, pelo contrário, quase sempre traz aquela sensação de estabilidade que as relações sólidas precisam.

Quebrá-la, porém, é um ingrediente obrigatório para não matar a relação de tédio. Vez ou outra, invente uma viagem curta, uma noite fora, uma fuga de carro, um gelado na esquina, uma lingerie nova, um bilhete no bolso, uma foto dos dois no painel do carro com um recadinho querido.

Isso acorda a relação e aquece o coração. Já a falta desse movimento pode levar o outro a encontrar emoção em lugares onde você não esteja…


7. Nunca elogiar a beleza física do outro

Algumas pessoas não têm o hábito de dizer que acha o parceiro bonito, atraente, sedutor, forte, cheiroso, etc. Pensam dessa forma, mas nunca dizem.

Pois saiba que deixar claro que acha o seu par atraente o faz sentir-se desejado e, acredite, não há nada mais estimulante do que isso.

Se a sua cara-metade se sente desejada, a sua auto-estima e segurança aumentam, levando qualidade no sexo. Ah, e não esqueça: se você não fizer isso, sempre aparecerá alguém que faz e aí…


8. Permitir que familiares ou amigos ofendam o seu par

Tem aquela sua irmã que não gosta do seu novo par, a sua mãe que acha que ela não presta para si, o seu pai que diz que ele tem cara de quem não vale nada, o seu amigo que faz piadinhas.

Muitas vezes, sem fundamento real, familiares e amigos se sentem na liberdade de falar coisas ofensivas e cortantes a respeito do seu par, sem qualquer cuidado ou questionamento se isso o vai magoar, apenas porque sentem que a posse sobre a sua atenção está ameaçada pela presença da pessoa que escolheu.

Esse tipo de conduta deve ser cortada desde o primeiro episódio. Esclareça que essa é a pessoa que escolheu e que exije respeito por ela. Não a deixe arranjar confusões com total desconhecidos para poder se defender.

Se  não souber se posicionar para preservar o seu par diante da sua família e amigos, corre o risco do outro se sentir desrespeitado, exposto e abandonado por si diante deles. Se isso acontecer e o seu par for alguém com amor próprio, vai optar pela saída de emergência mais próxima.


9. Falta de apoio moral

Não tem coisa pior do que procurar o colo do parceiro diante de uma frustração e não encontrar, ou ter o seu problema minimizado.

Às vezes, o seu par pode ter tido um péssimo dia, perdeu o telemóvel, uma reunião importante, o emprego, a hora, bateu com o carro ou está apenas num dia de melancolia. Em dias assim, não precisa dizer nada ou inventar a roda para resolver o problema do outro.

Posso garantir que a única coisa que o outro realmente espera de si é: “Eu sei que o seu dia foi mau, mas eu estou aqui do seu lado e vamos superar ou encontrar juntos uma solução.” Pode ser que, só isso, já resolva 90% do problema.

FONTECoffe e Break
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS