7 lições que o pé na bunda ensina

Se existe algo que todos nós temos em comum é o pé na bunda. Todos nós, sem exceção, levaremos e daremos milhares de pés na bunda ao longo da vida. A pessoa mais bonita que você conhece já levou um pé na bunda. A pessoa mais inteligente também. E digo o mesmo da pessoa mais interessante. Então não se sinta só no seu pé na bunda e aprenda com ele. Podemos tirar algo bom até das piores situações. 

1- O pé na bunda não torna você menos interessante
É difícil manter a auto estima depois de um fora. Você se pergunta incessantemente o porquê daquela pessoa não te querer mais. Encontrou alguém melhor? O que ela tem que eu não tenho? O que ofereceram que eu não pude oferecer? Porque não eu?  Qual é o meu problema?
A verdade é que você nunca encontrará respostas para essas perguntas simplesmente porque o ser humano não é racional em se tratando dos seus sentimentos. Somos movidos por forças que não conseguimos explicar de forma lógica.
Ser especial é apenas uma questão de ponto de vista. Hoje você é trocada como um absorvente usado por uma pessoa para amanhã ser o mundo de outra. Não existe a pessoa universalmente perfeita. Cada um tem o seu ideal e estamos sempre em busca dele.
Tomar um fora não te torna menos interessante. Você apenas não era ou deixou de ser interessante o suficiente para aquela pessoa. Tudo bem. Acontece. O mar ainda está cheio de peixes. Prepare-se para a temporada de pesca. Você verá o quão interessante você é para outras pessoas.

2- Não precisa ser infinito para ser verdadeiro
Quem disse que amor só é verdadeiro quando dura para sempre não entendia nada de amor. A vida não é um filme de Hollywood. As pessoas não são perfeitas e lineares. Assim como suas ações e sentimentos também não. O que não os desqualifica em nada.
O amor não é um recurso finito. Ele é renovável. Ele é reciclável. Ele não acaba quando usado. Na verdade, o amor é como um buraco cavado na terra: quanto mais você cava, maior ele fica.
Então se o relacionamento chegou ao fim, sinta-se feliz por ter existido. Você viveu um amor verdadeiro, bonito e que deu memórias que ficarão para sempre na sua história. Assim como você contribuiu para a história de outra pessoa. Se chegou ao fim não era por falta de amor, mas por outros motivos que azedaram irremediavelmente a relação. Mas foi sincero e real o tempo que tinha que durar. E não existe maior felicidade no mundo do que a certeza de amar e ser amado. E se não é mais, tudo bem. Quer dizer que você ganhou outra oportunidade de amar e ser amado novamente por outra pessoa. Vá atrás dela.

3- Amor não é tudo
Os filmes, os livros e as músicas românticas falam muito de amor mas quase nada de relacionamento. Amor sozinho não mantém relacionamento. Ele é importante, ele é essencial, mas ele não é tudo. É preciso cultivar muito mais do que amor para se manter um relacionamento.
Não há namoro, noivado ou casamento que se mantenha se não houver também respeito, amizade, lealdade, força de vontade, bondade, admiração, dedicação, companheirismo, diálogo, etc. O amor é apenas uma das partes de um todo.
Um relacionamento é como a construção de uma casa. Cada tijolo é tão importante quanto cada saco de cimento. Tire apenas um pequeno tijolo ou um pouco do cimento e você verá uma casa inteira desabando aos seus pés. Não ignore os detalhes. Eles são importantes.

4- Respeite a sua forma de luto
Não há nada de errado em querer passar uma semana inteira no quarto chorando pelo amor que foi embora.  E nem em ir pro carnaval da Bahia no dia seguinte ao término. Não existe remédio ou fórmula ideal para superar um fim doloroso. As pessoas se recompõem de formas e em tempos diferentes. 
O que você precisa para se recuperar? Chorar? Então chore. Sofrer? Então sofra. Fumar? Então fume. Trabalhar? Então trabalhe. Beber? Então beba. Transar? Então transe. Expor? Então exponha. Guardar? Então guarde.
Faça o que precisa ser feito e durante o tempo que precisar. Ninguém cuidará da sua dor por você. Então você não deve explicações do seu luto para ninguém. Muito menos para a pessoa que o desencadeou.
Você pode se perder, você pode se destruir, se isso for o necessário para que você se reconstrua numa versão ainda melhor, ainda mais forte, ainda mais sábia, ainda mais evoluída. É preciso chegar ao fundo do poço, pois só assim é possível pegar impulso para sair dele.

5- Tudo passa
Sabe essa dor que você está sentindo agora e que parece tão grande, tão forte e tão profunda que você não imagina como um dia ela poderá ir embora? Pois bem, acredite: ela vai passar.
Não existe dor suficientemente grande para que destrua um futuro inteiro de possibilidades. O ser humano é uma máquina incrível com o poder da continuação. Ele sofre, ele trava, ele dá pane, ele quase para, mas ele segue em frente. Enquanto houver um coração batendo, ele insistirá na busca que impulsiona nossas vidas: ser feliz.
Você é a única pessoa responsável pela sua vida e tudo o que acontecer nela será culpa sua e de mais ninguém. Por tanto, mesmo que a dor não nos seja uma escolha, sofrer é. Não prolongue o luto. Ele tem que ter um fim. E você tem que ter um recomeço.

6- Perdoe
Você errou. Erraram com você. Às vezes machucamos e somos machucados justamente por quem mais amamos. Aprenda a se perdoar e a perdoar o outro. Você só conseguirá seguir em frente quando resolver internamente qualquer possível pendencia que o pé na bunda tenha deixado. Para iniciar um novo ciclo você precisa fechar o anterior. E é impossível concluir um clico se você mantem rancores vivos. Eles não importam mais. Eles não trarão nada de bom para a sua vida. Livre-se imediatamente deles.

7- Você não vai se curar machucando terceiros
Você se machucou, ok, sabemos disso. Deve ter sido difícil pra você, sabemos disso também. Mas nada disso é desculpa para ser leviano com os sentimentos de outra pessoa que nada tem a ver com o seu coração partido. Os seus sentimentos não são mais importantes que os sentimentos dos outros. Respeite as próximas pessoas que aparecerão na sua vida. Trate-as como você gostaria de ter sido tratado no passado e infelizmente não foi. Mas se não foi, a culpa não é de quem acabou de chegar na sua vida. Você não vai se curar pisando em alguém só porque pisaram em você. Na verdade isso só te tornará ainda mais triste, solitário e amargo.
Uma dor do passado não pode ser desculpa para você ser um bosta no presente.

Fonte: Marina Barbieri

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS