A depressão é uma doença multifatorial. Isto quer dizer que muitos fatores influenciam em sua aparição e no impacto que ela tem sobre a vida da pessoa que sofre. Por isso, para combater a depressão, o melhor é tomar todas as medidas diferentes que estiverem ao alcance.

Ultimamente tem-se dado muita importância às alterações químicas produzidas no cérebro e que estão associadas à depressão. Ouvimos falar sobre os hormônios da felicidade, do estresse, de tudo. Também ouvimos falar sobre os neurotransmissores e de seu efeito no nosso humor. Mas embora esta abordagem seja científica e válida, também é importante fazer alguns esclarecimentos.

A química da depressão

A depressão origina alterações químicas no cérebro e vice-versa. No entanto, a química do cérebro é mutável. A qualidade dos pensamentos e das substâncias que ingerimos são dois desses agentes capazes de modificar a química do cérebro. No caso da depressão, eles aumentam ou diminuem a quantidade de serotonina disponível.

A produção de serotonina começa no intestino. É ali que se produz um precursor deste hormônio, que se chama “triptofano”. É por isso que algumas pessoas chamam o intestino de “o segundo cérebro”. Por essa razão, é preciso prestar atenção no tipo de comida que ingerimos e no estilo de vida que levamos. Assim, existem métodos que são completamente naturais para produzir mais serotonina, que contribui para combater a depressão.

 

Alimentos para reduzir a depressão

Primeiro é importante dizer que há alimentos que inibem a produção de serotonina e, por esse motivo, aumentam o risco da depressão. Basicamente são os carboidratos e as comidas com altos níveis de açúcar. Este tipo de alimento é como uma descarga energética no organismo. Eles são de rápida digestão e geram desejo. Uma espécie de síndrome de abstinência.

Por outro lado, outros alimentos, como os grãos integrais, as frutas e as verduras, contribuem para levar mais triptofano para o sangue. Isto se traduz em uma maior produção de serotonina e, portanto, agem como agentes protetores contra a depressão. Estudos médicos recentes atribuem um poder especial à cúrcuma para produzir este efeito.

O tipo de exercício mais adequado

Qualquer prática de exercício aumenta o nível de serotonina no cérebro. No entanto, o efeito é muito mais significativo quando o exercício é combinado com situações específicas. O ideal é que ele se desenvolva em um ambiente que acalme a mente, um ambiente que reduza o nível de angústia.

Os exercícios físicos são muito mais produtivos se forem feitos em um meio natural. As árvores e o verde da natureza potencializam os efeitos positivos do próprio exercício. Uma simples caminhada a passos rápidos pelo bosque pode ter efeitos extraordinários. O mar é outro destes cenários que curam.

O pensamento positivo e a meditação

O pensamento tem um poder enorme sobre o humor. Foi comprovado, por exemplo, que o efeito placebo é muito alto em pessoas com depressão. Existem experimentos onde as pessoas pensavam que iriam tomar um medicamento de última geração que, segundo os pesquisadores, eram muito eficazes para a depressão. A maioria ingere e melhora. É o efeito do pensamento positivo.

As práticas de relaxamento e de meditação também são muito aconselháveis para quem se sente deprimido. Às vezes é suficiente tirar um tempo para respirar, tratando de deixar a mente em branco. Também foi comprovado que para as pessoas religiosas, repetir suas orações aumenta a sensação de felicidade.

A literatura e a escrita

A literatura nos permite entrar em contato com experiências de outras pessoas, refletidas nos personagens ou no próprio narrador. Isto refina as nossas próprias emoções. As histórias inspiradoras produzem uma sensação de bem-estar e contribuem para modificar a química cerebral em um sentido positivo. Equivalem a pensamentos positivos.

A escrita, por outro lado, tem um efeito importante de catarse. Joel Robertson, especialista no tema, recomenda escrever por 20 minutos durante 4 dias seguidos. O tema devem ser as experiências dolorosas e é bom fazer isso sem pensar, quase que de forma automática. Este pesquisador assegura que essa experiência proporciona uma paz profunda.

 

Escutar música clássica

Foi comprovado que algumas melodias têm a capacidade de aumentar a produção de serotonina. Elas harmonizam o cérebro e proporcionam uma sensação de bem-estar e entusiasmo. A música de Bach é uma das mais recomendadas. Este artista realizava composições em uma ordem matemática que parece coincidir com algumas frequências de nosso cérebro.

Da mesma forma, são recomendados outros compositores como Brahms, Chopin, Händel, Haydn e algumas óperas como Madame Butterfly. Este tipo de música inspira e induz uma espécie de abertura nos sentimentos. Elas te ajudam a se conectar com a sua própria dor e isso tem um efeito saudável.

Para uma pessoa deprimida, não é fácil tomar medidas em prol de seu bem-estar, pois o que o corpo pede é o abandono. Talvez ela precise de um pouco de motivação extra. Talvez precise de apoio para começar. No entanto, pense que o mais complicado é precisamente isso, começar. Estes métodos para superar a depressão de forma natural costumam ser eficazes a curto prazo. Quer tenha depressão, quer não, você se atreve a experimentá-los para melhorar seu estado de ânimo?

FONTEA Mente É Maravilhosa
COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS