A intolerância à velhice e à pessoa idosa é outro dos males contemporâneos que se instalaram no mundo de maneira gradual e sem sabermos quando. De serem uma fonte amorosa de sabedoria, as pessoas mais velhas se tornaram seres com os quais muitos não sabem o que fazer. Após um determinado número de anos, muitos enfrentam a rejeição, o esquecimento e o desprezo.

O ideal contemporâneo se centra na juventude como fonte de todo bem-estar. Apesar de isso ser falso, muitos acreditam nesta premissa e agem em consequência dela. A força física é agora a mais importante. Uma pessoa idosa não cabe nesta equação, e sua vulnerabilidade não é algo com o que os outros queiram lidar.

“Os primeiros quarenta anos de vida nos dão o texto; os trinta seguintes, os comentários”.
-Arthur Schopenhauer-

As pessoas mais frágeis são, muitas vezes, relegadas. Isso acontece com as crianças, com os idosos e os doentes, entre outros. Os adultos jovens, saudáveis, fortes e em pleno uso de suas potencialidades sempre andam em busca de alguém a quem delegar a atenção e os cuidados que são sua responsabilidade, de seus próprios filhos, ou seus próprios pais ou familiares; parece que não há tempo para eles.

Por isso queremos dedicar-lhes este artigo, porque com sua luta na vida ganharam pelo menos estas cinco considerações que vamos detalhar a seguir.

Não tente mudar uma pessoa idosa

Tentar mudar alguém é quase uma falta de respeito. Quem disse que você tem a verdade, a razão, ou a sabedoria para fazer isso? Somente quem se crê melhor do que os outros tenta mudar os demais. O conceito de “melhor” ou “pior” é extremamente relativo e muito perigoso, principalmente quando o utilizamos na primeira pessoa.

Independentemente de quem estejamos falando, uma pessoa idosa já passou por muitas coisas. Ela formou seus próprios critérios, certos ou não. Ela adquiriu seus próprios hábitos, gostos e costumes. Ninguém tem o direito de tentar convencê-la de que deve pensar ou agir de outra maneira. De fato, é muito provável que por mais que você tente, não consiga mudar a opinião da pessoa em questão. Ao aceitar as diferenças, você evita momentos desagradáveis desnecessários.

Não entre em discussões com elas

Pode ser que seu pai ou seu avô estejam convencidos de algo que, para você, pode parecer absurdo. Suas crenças religiosas ou políticas podem ser muito diferentes das suas. As pessoas mais velhas, de boa fé, às vezes querem tentar convencê-lo de que têm a razão.

Não se esqueça de que uma pessoa idosa acumulou uma grande bagagem que não deve ser desprezada. Se pensa como pensa não é fruto da casualidade, e sim de vivências e conhecimentos adquiridos. Não é uma boa ideia entrar em discussões inúteis para que entendam seu ponto de vista. Presenteie uma escuta ativa, afetuosa e respeitosa: é isso que eles merecem.

Apoie seus interesses e hobbies

Muitas vezes as pessoas idosas são tímidas ou têm medo de expor seus próprios interesses e hobbies. No mundo atual, sua palavra não é muito levada em conta, a menos que ocupem posições de poder. Embora muitos se mostrem entediados ou apáticos, há outros muitos que ainda sentem que têm mensagens a transmitir, e estas mensagens são importantes.

Pode ser a leitura, a jardinagem ou até o esporte. Seria maravilhoso se você tentasse descobrir estes interesses órfãos. E se você já os conhece, ou já descobriu quais são, vale a pena apoiar a pessoa para que ela vá muito além do interesse. Nos últimos anos da vida, ter um hobby pode ser um bálsamo extraordinário.

Aceite suas limitações físicas e cognitivas sem criticá-las

Dizem que há uma prova que todos nós deveríamos fazer. Tampar os olvidos com algodão, aplicar vaselina sobre os olhos e amarrar dois tijolos aos nossos pés. Em seguida, tentar viver assim por uma hora. Desta maneira saberíamos como se sente uma pessoa em uma idade avançada. Talvez assim aprendêssemos a ser mais tolerantes com as limitações das pessoas idosas.

Se você passear com uma pessoa mais velha, caminhe em seu ritmo e não peça mais do que ela pode dar. Se não ouve quando você fala, esforce-se para falar mais alto e mais claramente, em vez de recriminá-la por não escutar. Ouça suas queixas de saúde dando-lhe atenção, e tratando-a como gostaria de ser tratado quando tiver a sua idade.

Não se afete pelas suas manias

Algumas pessoas mais velhas podem ser muito teimosas. Inclusive, podem querer desafiar os mais novos. Na verdade, há um momento em que voltam a se comportar como crianças. Em meio a este infantilismo tardio há muitos que desenvolvem comportamentos extravagantes.

Lembre-se de que por trás da maneira de agir da pessoa idosa há uma razão. Elas estão vivendo mudanças muito grandes e enfrentam a ideia de que vão morrer em alguns anos. Suas obstinações e caprichos lhes ajudam a compensar o sentimento de vulnerabilidade e o medo que sentem. Não dê a estas condutas mais importância do que elas têm.

Os pais e os avós também são uma fonte de sabedoria, mesmo que não tenham aprendido a ler e a escrever. Ouvi-los e passar um tempo com eles pode nutrir seu coração de maneira surpreendente. Acolher sua vulnerabilidade o converte em uma pessoa melhor e dá a sua vida um sentido mais profundo.

FONTEA Mente É Maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS